Lista de presos inclui indicados por Marta e líder do PMDB

Ex-presidente da Embratur foi chefe de gabinete de Marta Suplicy. Secretário-executivo é indicação de Henrique Alves

Adriano Ceolin, iG Brasília |

Preso na operação da Polícia Federal sobre irregularidades no Ministério do Turismo , o secretário-executivo Frederico Silva da Costa chegou à pasta por indicação do ex-ministro Walfrido dos Mares Guia, que é um dos réus do processo do “mensalão”. Ele tornou-se o número 2 do Turismo com o apoio do líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN). Também preso, o ex-presidente da Embratur Mário Moyses foi chefe de gabinete da senadora Marta Suplicy.

AE
Secretário-executivo da pasta, Costa é um dos alvos de 38 mandados de prisão da operação
Senadora pelo PT de São Paulo e pré-candidata à prefeitura paulistana, Marta foi ministra do Turismo entre março de 2006 e junho de 2007. Ele conseguiu indicar o sucessor, Luiz Barreto Filho, que ficou no cargo até dezembro passado. Nos últimos meses de administração de Barreto, Moysés acumulou as funções de presidente da Embratur e secretário-executivo do Turismo.

Procurada, Marta Suplicy disse que não iria se manifestar sobre a prisão de Moysés pela PF. Depois de participar de solenidade no Palácio do Planalto, a senadora conversou com a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais). Marta tem dito que o caso envolvendo Moysés é de 2009, quando ela não estava mais à frente da pasta do Turismo.

Frederico ascendeu na pasta por intermédio de Walfrido dos Mares Guia. Ele foi o primeiro ministro do Turismo, em 2003, no começo do primeiro mandato do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva . Apesar do vínculo com Walfrido que era do PTB, ele ganhou apoio peemedebista para chegar ao posto de número 2 da pasta este ano.

Segundo a Polícia Federal, Frederico e Moyses são dois dos presos da Operação Voucher que executa 38 mandados de prisão em São Paulo, Brasília e no Amapá. Pelas informações iniciais, havia um esquema de fraudes e desvio de recursos do Orçamento envolvendo emendas parlamentares e convênio para projeto na área de capacitação profissional.

Como a coluna Poder Online adiantou, em janeiro deste ano a presidenta Dilma Rousseff já estava irritada com suspeitas envolvendo Frederico no Turismo. Segundo o iG apurou, ele mora numa mansão no Lago Sul onde costumava realizar festas com uísque, vinho e champagne caríssimos.

Dilma também não tem uma boa relação com o próprio ministro do Turismo, Pedro Novais. Ele chegou ao cargo por indicação de Henrique Eduardo Alves e o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Até agora, Novais teve apenas uma audiência privada com a presidenta.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG