Para Chinaglia, "não há clima" na base para se discutir diminuição dos valores em razão da prorrogação do prazo dos restos a pagar

O relator do Orçamento de 2012, o deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), afirmou que “não há clima” para discutir a redução do valor das emendas individuais de R$ 13 milhões. Ele disse que não há disposição nem dentro do PT.

“Não de onde isso (redução do valor das emendas) surgiu. Agora, não me parece adequado discutir o assunto no momento em que o governo acaba de prorrogar o pagamento dos restos a pagar”, disse. Na última quinta-feira, o deputado Gilmar Machado disse ao iG que Chinaglia estudaria a redução das emendas .

Procurado na sexta-feira pela reportagem, o relator do Orçamento negou a intenção de mexer nos valores. “Pessoalmente sou contra. Recebi telefonema de uns oito líderes da base que são contra a redução”, contou Chinaglia.

A repercussão negativa deu-se, sobretudo, por conta da declaração da ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) em defesa da redução do valor das emendas. O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), afirmou que é preciso contrapartida.

Nas próximas duas semanas, o governo vai tentar aprovar a Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO), que serve para orientar a elaboração do Orçamento no segundo semestre. Setores da base tentarão produzir amarras para evitar contingenciamentos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.