Líder tucano elogia Jobim e diz que demissão não resolve crise

Álvaro Dias afirma que demissão de ministro será "afronta à liberdade de expressão" e que problemas do governo são criados por "modelo promíscuo"

AE |

selo

O líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias (PSDB do Paraná), disse hoje que a substituição de ministros da equipe da presidenta Dilma Rousseff não resolverá a crise no governo. Para ele, a crise é provocada pelo "modelo promíscuo de loteamento de cargos". "Ou seja, a distribuição dos lotes ocorre entre os partidos que se tornam proprietários do governo", explicou.  

"Um ministro se sente obrigado a dar mais satisfação a seu partido do que à presidenta da República, porque ele é nomeado pelo partido e não pela presidente", criticou o tucano. Dias defendeu o fim do atual modelo e pediu "seu sepultamento após 8 anos e meios cujo resultado foi extremamente nocivo aos interesses do País".

 Dias criticou a crise em torno do ministro da Defesa, Nelson Jobim, por conta de suas opiniões. Afirmou que Jobim é um nome de expressão nacional que valoriza qualquer governo e que se a demissão dele ocorrer por causa de suas declarações, "será um retrocesso, uma afronta à liberdade de expressão que qualquer um deve exercitar mesmo sendo ministro".

O líder tucano informou que a reunião de Jobim com os tucanos, marcada para a próxima terça-feira, estava agendada há mais de um mês e foi sendo adiada. O tema da reunião seria o pedido de apoio da oposição à proposta do governo sobre a Comissão da Verdade . "Quando um ministro pode dizer a verdade, dizer o que pensa, acho que isso só contribui. Esperamos que ele venha como ministro", afirmou.

    Leia tudo sobre: nelson jobimálvaro diasdilma rousseff

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG