Segundo o deputado André Figueiredo, o deputado federal Vieira da Cunha é um dos favoritos para o cargo

O líder do PDT na Câmara, André Figueiredo
Divulgação
O líder do PDT na Câmara, André Figueiredo
O líder do PDT na Câmara Federal, deputado André Figueiredo (CE), disse nesta segunda-feira (12) que o deputado federal Brizola Neto (RJ) não foi escolhido para comandar o Ministério do Trabalho.

Em conversa com o iG , Figueiredo disse desconhecer que houve uma reunião com a presidenta Dilma Rousseff para definir quem ocupará o cargo. 

“Essa notícia é pura especulação. Essa informação é infundada”, afirmou o deputado, referindo-se às afirmações da coluna “Panorama Político”, do jornal “O Globo” .

Segunda a nota, Brizola será o novo ministro do Trabalho, substituindo Paulo Roberto Pinto, ministro interino que assumiu o comando da pasta após a demissão de Carlos Lupi, em dezembro do ano passado.

André Figueiredo foi escolhido como líder por Carlos Lupi. Brizola Neto e Lupi são adversários políticos dentro do PDT. Presidente nacional da legenda desde a morte de Leonel Brizola, Lupi controla o partido e não dá espaço para o neto do ex-governador do Rio Grande do Sul e do Rio de Janeiro.

Mais sobre o tema: PDT cobra definição de Dilma sobre Ministério do Trabalho

Figueiredo afirmou que a definição do nome pode vir de uma escolha feita pela própria Dilma, contudo, defendeu os nomes do secretário geral Manoel Dias e do deputado federal Vieira da Cunha (RS) como os “dois que mais somam dentro do partido”. No entanto, fontes no PDT dizem que Manoel Dias foi vetado por Dilma.

Ele contou que terá uma reunião nesta tarde com a ministra da Secretaria de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, em Brasília, para debater o assunto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.