Kassab prepara pacote de bondades para ano eleitoral

No ano em que tentará emplacar sucessor, prefeito congela tarifa de ônibus, planeja novos hospitais e diz que vai construir túnel

AE |

selo

AE
Kassab e Alckmin durante assinatura de convênio entre o governo de São Paulo e prefeitura de São Paulo
No seu último ano como prefeito, Gilberto Kassab (PSD) triplicou a previsão de investimentos da Prefeitura, não vai aumentar a passagem de ônibus e categorias como professores e médicos terão reajustes de mais de 15%.

Leia também: Reajuste de salário de Kassab é considerado ilegal

O orçamento de 2012 que Kassab entrega hoje à Câmara Municipal, de R$ 38 bilhões, tem crescimento de 12% em relação ao de 2011 - a elevação do PIB nacional para o próximo ano, porém, é de 4%.

Até o final de agosto deste ano, a Prefeitura não havia aplicado nem R$ 1,3 bilhão em novos investimentos. A meta, segundo o governo, é fechar em R$ 2,5 bilhões.

Para 2012, porém, justo quando existe a perspectiva de uma desaceleração no crescimento econômico do País, Kassab reservou R$ 6,1 bilhões em novos investimentos. Três novos hospitais, um túnel entre a zona sul e a Rodovia dos Imigrantes e a conclusão da reforma do Largo da Batata estão entre as prioridades do próximo ano.

Kassab, que pretende fazer o sucessor pelo seu PSD, vai gastar em 2012 suas reservas, como R$ 1,5 bilhão arrecadado pelas operações urbanas Faria Lima, Água Espraiada e Pompeia. E, para evitar um aumento de ônibus em ano de eleições, o prefeito reservou R$ 660 milhões em subsídios para as oito viações de ônibus e dez cooperativas de perueiros da capital.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG