Kassab diz que aliança com Serra não impede PSD de ter ministério

Prefeito diz que corrida municipal em São Paulo é 'questão local' que não muda nada a relação do seu partido com o governo federal

Valor Online |

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), disse nesta terça-feira que o apoio ao pré-candidato José Serra (PSDB) na disputa pela Prefeitura de São Paulo não impede que um filiado ao seu partido assuma um ministério no governo Dilma Rousseff .

Leia também:
- 'É preciso reconhecer que erramos', diz Marta sobre eleição em SP
- Serra anuncia candidatura à Prefeitura de São Paulo

AE
O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, participa de inauguração da unidade de Assistência Médica Ambulatorial (AMA) Jardim Guairacá, na zona leste da cidade

Fundador do PSD, Kassab afirmou que a posição da legenda em relação ao governo é de "apoio" e "cooperação". Segundo Kassab, sua aliança com Serra, na capital paulista, não prejudica a eventual participação no governo Dilma.

"São coisas distintas", declarou, em visita à zona leste da capital. "É uma questão local; não muda em nada nossa relação com o governo federal", comentou.

Ao falar sobre a eventual indicação de um filiado do PSD para assumir um ministério, Kassab citou o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles. "Acho que é um direito dele (Henrique Meirelles) de aceitar e é bom para o Brasil", afirmou.

Em Pernambuco: 'Não sou prefeita de São Paulo', diz Dilma sobre Serra

O prefeito disse que o PSD continuará "independente" mesmo se ganhar um ministério. "Mesmo caso ele (Meirelles) aceitasse, seria um ministro desvinculado de ações partidárias. Não teríamos nenhum compromisso de integrar a base partidária", declarou Kassab.

O fundador do PSD, no entanto, reforçou logo em seguida que a relação de seu partido com o governo federal é de "cooperação, apoio e de torcida para que dê certo". Kassab disse que "poucos" foram tão parceiros do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva quanto ele, apesar de ter votado no concorrente de Lula e de Dilma na eleição presidencial.

Segundo o prefeito, o mais importante é "jamais ficar contra para sempre". O apoio de Kassab a Serra se dá depois de intensas negociações entre o prefeito e o PT.

O articulador do PSD acenou com aliança à candidatura do ex-ministro Fernando Haddad na capital paulista e chegou a participar da festa de 32 anos do PT , em Brasília, como forma de reforçar sua disposição em compor com os petistas.

O cenário eleitoral na época, no entanto, ainda não trazia Serra como pré-candidato. Em troca do apoio a Haddad, Kassab poderia ganhar um ministério e teria o apoio do PT junto ao Tribunal Superior Eleitoral na tentativa de conseguir tempo de televisão e recursos do fundo partidário para o PSD.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG