Kassab aponta pré-candidatos do PSD à prefeitura de SP

Três nomes são estudados como candidatos à sucessão: Eduardo Jorge, Francisco Vidal e Guilherme Afif Domingos, fundador da sigla

AE |

selo

O futuro Partido Social Democrático (PSD), que nasce a partir de articulações políticas do atual prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, se movimenta para a disputa das eleições municipais de 2012. Um dos principais focos do partido é a prefeitura de São Paulo, e Kassab revelou hoje que já mantém conversas com três nomes que poderiam representar o PSD na disputa.

"O meu esforço nos próximos três meses é o de convencer uma dessas três pessoas a assumir essa candidatura. Mas acredito que seja difícil", afirmou o prefeito, em visita ao piscinão da Penha.

Segundo Kassab, os três nomes são: o secretário municipal do meio ambiente, Eduardo Jorge, o ex-secretário estadual de Economia e Planejamento, Francisco Vidal, e o atual vice-governador do Estado de São Paulo, Guilherme Afif Domingos, um dos fundadores do PSD junto com Kassab. Até o momento, porém, nenhum dos três aceitou a indicação. "Qualquer um dos três seria um ótimo prefeito para a cidade de São Paulo", destacou o político, em conversa com os jornalistas.

A constituição do PSD foi um dos principais temas da política brasileira dos últimos tempos. As articulações para a criação do novo partido duraram mais cinco meses e tiveram o prefeito de São Paulo como um dos seus principais atores. Nos bastidores do meio político, a tese é de que Kassab viabilizou a criação da nova legenda para se cacifar visando à disputa da eleição ao governo do Estado de São Paulo em 2014, o que foi negado pelo político. "Não existe um projeto pessoal por trás desse processo. Buscamos o melhor para o Brasil", rebateu.

Kassab justificou a sua decisão de sair dos Democratas (DEM) à postura do partido nos últimos anos. "O DEM adotou uma postura de errática de ser contra o governo em qualquer momento, e nós temos que pensar no Brasil primeiro", afirmou o prefeito, ressaltando que o Brasil é maior que qualquer partido político, seja ele PT, PSDB ou DEM. Apesar do tom crítico, Kassab disse que não saí magoado do DEM. "Eu não olho para trás; olho para frente. Torço para que o DEM se recupere e contribua para o que o Brasil tenha mais desenvolvimento", acrescentou.

A primeira cerimônia oficial da nova legenda acontecerá amanhã, em Salvador (BA). Segundo Kassab, "um conjunto de líderes políticos vão manifestar, durante o evento, à disposição de ingressar no PSD quando for criado". Na próxima segunda-feira, o partido irá anunciar as suas diretrizes em cerimônia na Assembleia Legislativa de São Paulo. "O PSD é um partido a favor do Brasil. É um partido que tem uma posição clara de centro, mas procurando conviver com todos os partidos que tem alguma sintonia com as suas diretrizes", argumentou.

Apesar de o programa político do partido não estar concluído, Kassab afirmou que já há políticos de nove estados com interesse de aderir ao PSD. "A partir de agora, o conjunto de lideranças vão percorrer o Brasil para convidar personalidades, intelectuais e líderes políticos para o partido", disse o prefeito. A expectativa é de que o PSD seja criado dentro de três meses. Até lá, Kassab permanecerá no DEM. "Será uma situação híbrida, por estar filiado ao partido anterior, mas a caminho do novo", explicou. O atual prefeito de São Paulo ingressou no DEM, antigo PFL, em 2005.

A escolha do nome Partido Social Democrático para batizar a legenda é uma homenagem ao ex-presidente Juscelino Kubitschek por sua política desenvolvimentista nos anos de 1950. Kassab explicou que o Brasil passou ao longo dos últimos por uma série de transformações, a começar pelo resgate da democracia, pela conquista da estabilidade econômica e pelo atual processo de redução das desigualdades sociais. "É nesse contexto que o PSD se encaixa, no sentido de acelerar as correções das desigualdades sociais. Buscamos o desenvolvimento acentuado do País, e por isso a homenagem ao Juscelino Kubitschek, que disputou a eleição pelo PSD", explicou.

Hoje, o prefeito visitou o piscinão Rincão, localizado no bairro da Penha, zona leste da capital paulista. Kassab vistoriou os trabalhos de limpeza do local, no âmbito da operação "Limpeza concentrada em piscinões". O político anunciou que a prefeitura irá disponibilizar as imagens em tempo real da situação dos piscinões pela internet. "Isso dá mais qualidade à fiscalização e permite que a população e a imprensa acompanhe os serviços da contratada para limpar os locais", disse.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG