Presidente nacional da nova sigla anuncia que congressistas só pedirão investigação se houver decisão por maioria da bancada

Um dia depois de obter o funcionamento legal do PSD, o prefeito de São Paulo e presidente nacional da nova sigla, Gilberto Kassab, anunciou hoje que congressistas do partido só poderão assinar pedidos de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) contra o governo se houver decisão por maioria da bancada.

Leia também: PSD é de "centro" , diz Kassab

Ao contrário do que havia dito meses atrás de que seu partido seria "independente", a declaração feita hoje por Kassab, em entrevista coletiva em Brasília, denota que o PSD atuará mais próximo do governo do que da oposição. Mais cedo, em entrevista à TV Globo, o prefeito disse também que a sigla é "de centro".

A senadora Kátia Abreu, o prefeito Kassab e o vice-governador Afif comemoram registro do PSD
AE
A senadora Kátia Abreu, o prefeito Kassab e o vice-governador Afif comemoram registro do PSD

Hoje pela manhã Kassab comandou a primeira reunião do PSD após a sua formalização na Justiça Eleitoral. Após o encontro, ele anunciou que o PSD vai defender a realização de uma Assembleia Constituinte em 2014 para fazer uma revisão constitucional. Na semana passada, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu uma assembleia exclusiva para aprovar a reforma política.

Ontem à noite, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) votou por 6 votos a 1 a concessão do registro definitivo do partido para que seus filiados tenham direito de disputar a eleição de 2012, de prefeitos e vereadores.

Além de agradecer à Justiça Eleitoral, Kassab citou nominalmente a presidenta Dilma Rousseff pela conquista do registro. “Antes mesmo da criação do partido, ela nos recebeu e nos deu uma demonstração de postura democrata, reconhecendo a representatividade que o partido já tinha”, afirmou.

Kassab também fez questão de ressaltar o apoio do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), em favor da criação do PSD. “Queria citá-lo em nome de todos os outros governadores. Eduardo Campos abriu as portas de Pernambuco”, disse. “Agora estamos no Brasil inteiro”, afirmou.

Mais de 60 deputados

O prefeito de São Paulo afirmou que, ao longo da formação do partido, conversou com cerca de 80 deputados de diferentes siglas. “Esperamos contar, de imediato, com cerca de 50”, disse. No entanto, o secretário-geral do PSD, Saulo Queiróz, afirmou que o partido passar dos 60 deputados.

“A cada dia eu me assunto com um deputado que pede para entrar no nosso partido”, disse ao iG. Na manhã desta quarta-feira, a surpresa ficou por conta do deputado Danrlei (PTB-RS). O ex-goleiro compareceu hoje ao ato político do partido. “Sinto que o PSD compartilha das ideias que eu tenho. Acho que terei mais liberdade”, disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.