Líder do governo reuniu-se com a presidenta Dilma Rousseff para discutir acusações feitas por Oscar Jucá Neto contra Wagner Rossi

selo

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), disse ter pedido desculpas à presidenta Dilma Rousseff pelas acusações feitas pelo seu irmão, Oscar Jucá Neto, de que há corrupção no Ministério da Agricultura . Após a conversa com Dilma, o líder do governo disse ter ouvido dela que o ministro Wagner Rossi (Agricultura) continua no cargo e terá a responsabilidade de verificar se há irregularidades na área.

"Na conversa com a presidenta, eu dei explicações e pedi desculpas, disse que não concordo com o que ele ( Oscar ) fez. Ela, comigo, deu o assunto como encerrado e disse que o ministro Wagner Rossi vai verificar se houve alguma irregularidade", disse Jucá.

Jucá disse não saber se denúncias feitas por seu irmão têm fundamento
Agência Senado
Jucá disse não saber se denúncias feitas por seu irmão têm fundamento
O peemedebista disse não ter conhecimento se as acusações do irmão são ou não verdadeiras, mas criticou o fato de ele ter feito as denúncias após perder o cargo na Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). "O que ele disse não tem pé nem cabeça. Eu não conheço os dados da área, mas não concordo com a postura dele de sair atirando no ministro, no Michel Temer ( vice-presidente da República )".

Em entrevista à revista Veja , o irmão de Jucá afirmou haver um esquema de corrupção no Ministério da Agricultura tendo como foco a Conab. O esquema beneficiaria o PMDB e o PTB. Indicado por Temer para o ministério, Rossi, segundo Oscar Jucá, participaria do esquema. Segundo Oscar, a estatal estaria adiando o repasse de R$ 14,9 milhões à empresa de alimentos Caramuru para barganhar uma comissão de R$ 5 milhões, que seriam acrescentados ao valor da dívida de forma fraudulenta.

Ele denunciou, ainda, a venda de um terreno da empresa em uma área nobre de Brasília por R$ 8 milhões, um quarto do valor estimado de mercado, em favor de uma pequena imobiliária, que seria laranja de um influente político do PTB. O irmão de Jucá foi demitido da Conab na semana passada após uma denúncia de que autorizara um pagamento irregular de R$ 8 milhões a uma empresa de armazenagem, sem aval do presidente da estatal, Evangevaldo Pereira dos Santos, e do ministro. Segundo Jucá, Oscar garante que o pagamento foi legal e se deu em cumprimento a uma ordem judicial.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.