Jucá se desculpa por acusação feita por seu irmão a ministro

Líder do governo reuniu-se com a presidenta Dilma Rousseff para discutir acusações feitas por Oscar Jucá Neto contra Wagner Rossi

AE |

selo

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), disse ter pedido desculpas à presidenta Dilma Rousseff pelas acusações feitas pelo seu irmão, Oscar Jucá Neto, de que há corrupção no Ministério da Agricultura . Após a conversa com Dilma, o líder do governo disse ter ouvido dela que o ministro Wagner Rossi (Agricultura) continua no cargo e terá a responsabilidade de verificar se há irregularidades na área.

"Na conversa com a presidenta, eu dei explicações e pedi desculpas, disse que não concordo com o que ele ( Oscar ) fez. Ela, comigo, deu o assunto como encerrado e disse que o ministro Wagner Rossi vai verificar se houve alguma irregularidade", disse Jucá.

Agência Senado
Jucá disse não saber se denúncias feitas por seu irmão têm fundamento
O peemedebista disse não ter conhecimento se as acusações do irmão são ou não verdadeiras, mas criticou o fato de ele ter feito as denúncias após perder o cargo na Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). "O que ele disse não tem pé nem cabeça. Eu não conheço os dados da área, mas não concordo com a postura dele de sair atirando no ministro, no Michel Temer ( vice-presidente da República )".

Em entrevista à revista Veja , o irmão de Jucá afirmou haver um esquema de corrupção no Ministério da Agricultura tendo como foco a Conab. O esquema beneficiaria o PMDB e o PTB. Indicado por Temer para o ministério, Rossi, segundo Oscar Jucá, participaria do esquema. Segundo Oscar, a estatal estaria adiando o repasse de R$ 14,9 milhões à empresa de alimentos Caramuru para barganhar uma comissão de R$ 5 milhões, que seriam acrescentados ao valor da dívida de forma fraudulenta.

Ele denunciou, ainda, a venda de um terreno da empresa em uma área nobre de Brasília por R$ 8 milhões, um quarto do valor estimado de mercado, em favor de uma pequena imobiliária, que seria laranja de um influente político do PTB. O irmão de Jucá foi demitido da Conab na semana passada após uma denúncia de que autorizara um pagamento irregular de R$ 8 milhões a uma empresa de armazenagem, sem aval do presidente da estatal, Evangevaldo Pereira dos Santos, e do ministro. Segundo Jucá, Oscar garante que o pagamento foi legal e se deu em cumprimento a uma ordem judicial.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG