José Sarney minimiza crise entre PT e PMDB

Segundo presidente do Senado, jantar que Temer oferecerá a peemedebistas hoje à noite é atitude rotineira

AE |

selo

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), minimizou, na tarde de hoje, os recentes atritos entre PT e PMDB, em meio à votação do Código Florestal, que desgastaram a aliança política entre os dois partidos. Ele disse que o jantar que o vice-presidente Michel Temer oferecerá hoje à noite para reunir senadores do PMDB é nada além de uma atitude rotineira.

AE
Sarney disse que Temer não fez relato sobre conversas com Palocci
Temer promoverá um jantar em sua residência oficial, o Palácio do Jaburu, com a missão de apaziguar os ânimos, já que o novo Código Florestal começa a tramitar nesta semana no Senado, onde o governo pretende modificar o texto.

Para Sarney, será apenas um jantar de rotina: "O Michel, como é vice-presidente e presidente do PMDB, tem essa função de sempre estar presente e procurar a unidade do partido, discutir a nossa participação política nas decisões nacionais. Esses jantares têm sido coisas rotineiras dentro da nossa convivência."

No auge dos desentendimentos, o ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, ameaçou demitir os ministros indicados pelo PMDB, caso os peemedebistas não apoiassem o texto do Código defendido pelo governo. Mas Sarney afirmou que Temer não relatou a ele os diálogos duros que travou com Palocci. "Eu vi muito mais essa briga pela imprensa. Michel esteve comigo várias vezes nesses dias e não me relatou essa briga. Vocês tiveram mais prestígio do que eu", disse aos jornalistas.

    Leia tudo sobre: José sarneymichel temerantonio palocciptpmdb

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG