Jobim nega reabertura de processo para compra de caças

Ministro da Defesa diz que informação não passa de 'balbúrdia' iniciada por concorrentes liminados

Agência Estado |

selo

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, desmentiu nesta manhã que a licitação para compra de novos caças para a Força Aérea Brasileira (FAB) tenha sido reaberta. Em visita ao Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, Jobim negou que a presidente Dilma Rousseff decidido avaliar novas propostas para a compra das aeronaves, um negócio que pode se aproximar da casa de R$ 10 bilhões.

Jobim atribuiu essa informação a uma suposta "balbúrdia criada pelos concorrentes já eliminados e que estariam tentando voltar de alguma forma". O ministro também negou que o negócio tenha ficado para 2012. "Escolhidos os três, abre-se uma negociação ( para chegar ao vencedor ) que normalmente dura 12 meses", afirmou.

Disputam a venda de 36 caças ao Brasil a francesa Dassault (tida até o fim de 2010 como favorita), com o Rafale; a norte-americana Boeing, com o F-18 Super Hornet; e a sueca Saab, com o Grippen. A russa Sukhoi foi eliminada, mas poderia voltar se a licitação fosse reaberta. Também já demonstrou interesse em entrar no processo a Lockheed, dos Estados Unidos.

    Leia tudo sobre: caçasrafalefrançabrasileua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG