Irritados com emenda, Cabral e Paes não vão à convenção do PMDB

Para governador e prefeito do Rio de Janeiro, companheiros de legenda não foram solidários na votação dos royalties do pré-sal

Anderson Dezan, iG Rio de Janeiro |

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e o prefeito da capital fluminense, Eduardo Paes (PMDB), afirmaram nesta quinta-feira que não irão comparecer à convenção nacional do PMDB no próximo sábado. Segundo Cabral, a decisão foi tomada após a aprovação na madrugada de hoje da emenda do senador Pedro Simon (PMDB-RS) que trata da divisão dos royalties do pré-sal.

“Foi uma decepção muito grande ter companheiros do PMDB nessa covardia e nesse achaque aos cofres públicos do Rio”, disse. “Não irei à convenção no sábado porque não vou me sentir à vontade. Não senti de parte do PMDB solidariedade ao Estado do Rio", avaliou o governador.

De acordo com a proposta de Simon, o valor arrecadado com os royalties deve ser dividido igualmente entre estados e municípios, conforme critérios do Fundo de Participação dos Municípios e do Fundo de Participação dos Estados.

Segundo Cabral, no ano passado, o Rio (estado e 87 municípios) recebeu R$ 7,5 bilhões de royalties e de participação especial. Para este ano, a previsão é que o valor seja ainda maior. Com a emenda aprovada pelo Senado, contudo, esse dinheiro deixará de entrar.

“Estão levando R$ 7,5 bilhões dos cofres do Rio”, afirmou. "“O Senado devia estar discutindo a reforma tributária, e não essa ação falsamente justa”. 

Paes disparou uma crítica ácida contra o senador Pedro Simon, que apelou para o julgamento dos senadores nas urnas em outubro para defender em discurso a aprovação da emenda. "As madrugadas não são os melhores momentos para as pessoas que prezam pela ética agirem", disse o prefeito.

* Com informações da Agência Estado. 

    Leia tudo sobre: pré-salrio de janeiropmdbconvenção

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG