Irmã de Aécio critica ação da oposição após episódio do bafômetro

Andrea Neves, que afirmou que ação 'foi orquestrada' para desgastar o tucano, disse que imagem de Aécio não foi prejudicada

AE |

selo

A presidente do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas) de Minas Gerais, a jornalista Andrea Neves, afirmou hoje que a enxurrada de críticas a seu irmão, o senador Aécio Neves (PSDB-MG), que foi flagrado com a carteira de habilitação vencida e se recusou a fazer teste do bafômetro em uma blitz da Lei Seca no Rio de Janeiro, foi uma ação "orquestrada" para desgastar o tucano.

Porém, ela disse não acreditar que a imagem de Aécio tenha sido prejudicada pelo episódio e que o caso já foi "devidamente esclarecido". A jornalista, que presidiu o Grupo Técnico de Comunicação Social e foi a principal responsável pela imagem de Aécio durante seus dois mandatos à frente do governo mineiro, considera que o tucano cometeu apenas um "equívoco".

Andrea também elogiou a postura do senador Lindberg Farias (PT-RJ), que usou o Twitter para dar um puxão de orelha nos correligionários pelo uso político do fato. Por meio do site de microblog, o petista disse que acha "baixaria" e tem "vergonha" por causa dos milhares de comentários contra Aécio postados no próprio Twitter e pediu para que os correligionários "façam criticas políticas".

AE
O senador Aécio Neves (PSDB-MG) é visto durante sessão do Senado, em Brasília (DF)
Para a jornalista, o senador fluminense "faz crítica aberta à direção do PT nacional no sentido de que esse exagero, essa ação orquestrada na internet para criar um desgaste para o senador nesse episódio, não é um exemplo da política que deve ser feita no País".

    Leia tudo sobre: aécio nevesblitz lei secaandrea neves

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG