Integrantes do time de transição garantem cargos no novo governo

Nomes já estão confirmados para ministérios e secretarias. Equipe que trabalhou na transferência FHC-Lula incluía Dilma e Gabriell

Gabriel Costa, iG Brasília |

A pouco mais de vinte dias da posse, a equipe da transição de governo da presidenta eleita Dilma Rousseff já assegurou lugares de destaque na arquitetura da nova administração. A situação é de certa forma análoga à do grupo que atuou na sucessão de Fernando Henrique Cardoso para Luiz Inácio Lula da Silva, em 2002, na primeira vez em que esse modelo de transferência de poder foi utilizado pela primeira vez no Brasil.

O grupo, que tem acesso a dados relativos às contas públicas, programas e projetos do governo federal, é composto por até 50 cargos que podem ser criados a partir do segundo dia útil após o resultado das eleições e são extintos dez dias depois da posse do candidato eleito. Entre os principais nomes da equipe estão a jornalista Helena Chagas, que estará à frente da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República no governo de Dilma; o ex-secretário executivo adjunto da Casa Civil Giles Azevedo, cotado para chefiar o gabinete da presidenta eleita e a assessora especial do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Clara Ant, que deve trabalhar com Lula após o presidente deixar o Palácio do Planalto.

A equipe é coordenada pelo vice-presidente eleito Michel Temer; o ex-ministro da Fazenda Antonio Palloci, que assumirá a Casa Civil; o deputado José Eduardo Cardozo, futuro ministro da Justiça, e o presidente do PT, José Eduardo Dutra.

Em 2002, o time de Lula incluía a própria Dilma, à época secretária de Energia, Minas e Comunicações do Rio Grande do Sul, bem como Palloci, o hoje presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli; o secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin; a senadora eleita Gleisi Hoffmann e a assessora da Casa Civil Tereza Campello, cotada para assumir o Ministério do Desenvolvimento Social em 2011.

Conheça os integrantes da equipe de transição


Clara Ant – arquiteta, foi assessora especial da Presidência da República no governo Lula
Helena Chagas - filha do jornalista Carlos Chagas, que também foi secretário de comunicação da Presidência, foi diretora de jornalismo da Empresa Brasileira e coordenou a comunicação da campanha de Dilma.
Giles Garriconde Azevedo - ex-secretário executivo adjunto da Casa Civil, trabalha com Dilma desde o Rio Grande do Sul.
Marly Ponce Branco - ex-assessora técnica da subchefia de análise e acompanhamento de políticas governamentais da Casa Civil.
Sinval Alan Ferreira da Silva, ex-chefe de gabinete do ministro de Relações Institucionais.
Ênio Alves Vieira Filho - jornalista, ex- diretor executivo da Agência Brasil, cuidava da parte de internet na campanha de Dilma.
Cleonice Maria Dorneles - ex-assessora da Casa Civil
Paulo Leonardo Martins - ex-assessor especial da Casa Civil
Anderson Braga Dorneles - jornalista , trabalhou na campanha de Dilma.
Sinval Alan Ferreira da Silva, ex-chefe de gabinete do ministro de Relações Institucionais
Ana Lúcia Ferreira dos Santos- trabalhava com Clara Ant e assessora questões de conteúdo na transição.
Roberto França Stuckert Filho - foi o fotógrafo da campanha presidencial.
Georgina Fagundes - trabalhava com Giles Azevedo.
Jorge Luiz de Lima - auxiliar, também trabalhou na campanha.
Márcia Westphalen - foi secretária durante a campanha.

Completam a lista Arílson Cavalcante Pereira, Valdecir da Silva Ribeiro, Hildivan Freitas Ribeiro, Thaís Beserra de Andrade, Vanessa Rossana Vieira Maia, Catherine Fátima Alves, Márcia Brandão Raposo, Maria da Solidade de Oliveira Costa, Rosária de Fátima do Carmo e Gabriela Fatel de Carvalho. A advogada Christiane Araújo de Oliveira pediu exoneração do cargo após a revelação de que sofre duas ações de improbidade pela Justiça de Alagoas por conta do seu envolvimento na máfia dos sanguessugas.

    Leia tudo sobre: transiçãodilma rousseff

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG