Instalação da CAE no Senado pode ser adiada

Líder do governo na Casa afirmou que terá dificuldade para concluir as indicações para as comissões antes do final do dia

AE |

selo

A disputa interna nas bancadas do Senado pelas vagas nas comissões permanentes mais importantes adiará a instalação dos colegiados. Diante do impasse, a instalação da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), que estava programada para as 14 horas desta terça-feira (22) - seguida da sabatina dos novos diretores do Banco Central -, pode ficar para esta quarta-feira (23). Somente um acordo de última hora entre os líderes pode alterar essa previsão.

O líder do bloco de apoio ao governo (PT, PCdoB, PSB, PDT, PR e PRB), senador Humberto Costa (PT-PE), afirmou que não conseguirá concluir as indicações para as comissões antes do final do dia, porque está às voltas com a votação do salário mínimo. Às 13 horas, Costa recebe o secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa, que debaterá o projeto do governo com os integrantes do bloco.

O petista tem de indicar dez titulares e dez suplentes para a CAE, a comissão mais concorrida. É a segunda mais importante da Casa, depois da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a única instalada até agora. O Senado possui 11 comissões permanentes.

PMDB, PSDB, PTB e PSOL já encaminharam os nomes dos integrantes. Por acordo de lideranças, o senador Delcídio Amaral (PT-MS) foi indicado para a presidência da CAE, que é formada por 27 titulares e 27 suplentes. O vice-presidente será o senador Lobão Filho (PMDB-MA).

Nesta quarta-feira, a agenda do Senado será dominada pela votação do salário mínimo, pela manhã na CCJ e à tarde no plenário.

    Leia tudo sobre: CAESenadosalário mínimo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG