Ideli indica que governo não pretende se afastar do PSD

Ministra de Relações Institucionais reforça discurso da presidenta de que não trarão 'questões locais para o âmbito federal'

AE |

selo

A ministra de Relações Institucionais da Presidência da República, Ideli Salvatti, deu a entender nesta quarta-feira que o governo não pretende se afastar do PSD do prefeito Gilberto Kassab por conta do apoio do partido ao candidato do PSDB, José Serra, à Prefeitura de São Paulo.

Leia também: Kassab diz que aliança com Serra não impede PSD de ter ministério

AE
Ideli Salvatti em entrevista após a reunião da coordenação política do governo (12/12/2011)

Ela desconversou quando indagada sobre a relação do governo com o prefeito, alegando que "a eleição é municipal, se resolve no município, com autonomia dos municípios".

"A própria presidenta tem deixado claro que o governo é federal e não traremos as questões das disputas locais para o âmbito federal", alegou. A ministra usou o mesmo argumento para não comentar a iniciativa do PR, partido aliado do Planalto, de lançar a candidatura do deputado Tiririca à Prefeitura de São Paulo .

"Quero dizer que essas decisões dos partidos são de responsabilidade e são tratadas no âmbito municipal", acrescentou.

Um dia depois de o PDT e PSB evidenciarem a insatisfação no tratamento recebido do governo na votação do projeto de lei que institui a previdência complementar para os servidores públicos federais (Funpresp), Ideli Salvatti afirmou que o governo não teme a ocorrência de rebelião na bancada de apoio no Congresso pela demora em atender às reivindicações de partidos aliados.

Ela foi categórica ao afirmar que a presidenta Dilma Rousseff decidirá sobre o preenchimento de cargos dos ministérios ignorando eventuais pressões de partidos.

"Na hora que tomar as demais decisões serão devidamente anunciadas", disse. "Vamos aguardar a presidenta. É uma decisão da presidenta. Ela tomou a decisão de incorporar o PRB por conta da importância, (o partido) era parceiríssimo no governo Lula com o vice-presidente José Alencar. Foi uma decisão que ela tomou", disse, referindo à indicação do senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) para o cargo de ministro da Pesca .

A votação do Funpresp, ao contrário, foi visto pela ministra como uma prova de que a base do governo na Câmara está sólida. "Ontem, fizemos uma votação complexa, importante, com margem de folgada de votos", afirmou. Ideli mostrou-se conformada com os votos contrários do PDT e PSB, alegando apenas que "é assim a vida".

    Leia tudo sobre: ideli salvattipsddilma rousseffkassabjosé serrasão pauloeleições 2012

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG