Ideli: 'Haverá frustração da base nas nomeações'

Ministra diz que pedidos por cargos somam mais de 40 posições, mas avisa que planeja apenas 'ajustes' no 1º e 2º escalão

AE |

selo

A ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, disse na tarde de hoje que haverá frustração da base nas nomeações pretendidas para os cargos de segundo e terceiro escalões pelos partidos. Segundo ela, "não tem como trocar tudo ( todos os cargos ), pois este é um governo de continuidade e não de rompimento. Os ajustes estão sendo debatidos e serão feitos aos poucos". O assunto, segundo ela, está sendo discutido com os ministros das áreas respectivas.

AE
Ministra diz que demanda por nomeações é "um pouco maior" que 40 cargos
Para Ideli, "existe um volume maior de expectativa pelos cargos" do que o número de cargos. Questionada se o volume de cargos pretendidos é da ordem de 40, a ministra disse "é um pouco maior". E emendou: "Nós não iremos atender a toda a expectativa. Os ajustes serão os absolutamente necessários. Não tem cabimento achar que haverá trocas significativas. Serão meramente ajustes. Este não é um governo de oposição, é de continuidade".

Segundo ela, há pedidos de cargos em diretorias de bancos, no sistema elétrico e na Petrobras. "Se as expectativas não forem atendidas, não podem ser questionadas porque não temos uma ruptura de projeto e os partidos tinham clareza disso", afirmou a ministra.

Ideli informou que a presidenta Dilma Rousseff ainda não escolheu o nome do líder do governo no Congresso. Ela insistiu que está recebendo todas as bancadas da Câmara e do Senado. "Acredito que tenhamos decisão em breve, mas não esta semana".

Sobre a possibilidade de as lideranças do PMDB na Câmara não quererem participar da reunião com ela, marcada para a tarde de hoje no Planalto, em resposta à possibilidade de Dilma indicar mais um senador para um posto (Eduardo Braga para a liderança do governo no Congresso), Ideli disse: "Se o PMDB da Câmara e do Senado quiserem vir separados, pra mim, não tem problema".

    Leia tudo sobre: ECONOMICOPOLITICA

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG