Pré-candidato do PT à prefeitura espera que a lógica local prevaleça na política de alianças na capital paulista

selo

O pré-candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, disse nesta quinta que espera que a lógica da política local na cidade prevaleça sobre os problemas que o PR nacional teve (na relações com o governo da presidente Dilma Rousseff) e possa se aliar com seu partido nas eleições municipais deste ano na capital. "Penso que há um caminho de entendimento, a partir da lógica local, e dos problemas da cidade", afirmou o pré-candidato, durante visita à região de Santana e Tucuruvi, na zona Norte da Capital.

Leia também: Haddad diz que ainda andará muito por São Paulo com Marta

Haddad quer que PR se descole da lógica nacional para fechar aliança
AE
Haddad quer que PR se descole da lógica nacional para fechar aliança

Para o petista, se a lógica nacional for prevalecer sobre os assuntos municipais, ficaria impossível para o PT administrar sua política de alianças. "Nós temos uma atuação conjunta na cidade de longa data. O PR é praticamente o único partido que se aliou ao PT na oposição contra a atual administração", lembrou o ex-ministro da Educação.

Haddad disse que vem mantendo conversas com representantes do PR em São Paulo e que, assim como os outros partidos da base do governo Dilma, está aguardando o prazo previsto na legislação eleitoral para definir suas políticas de alianças. "Entendo que todos os partidos estão esperando o processo decantar, esperando os prazos correrem para se aliar a uma ou outra candidatura", justificou. Haddad diz que vê receptividade dos representantes do PR para a formação de uma aliança em São Paulo na disputa à sucessão do prefeito Gilberto Kassab.

Lula

Fernando Haddad disse também que pretende participar do primeiro evento público de seu padrinho político, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no dia 14 deste mês, na inauguração de um Centro Educacional Unificado (CEU), em São Bernardo do Campo. Esta será a primeira aparição pública do ex-presidente petista, desde que recebeu a notícia de remissão completa do tumor na laringe. "Nada impediria a minha ida, no caso, ali tive o prazer como ministro da Educação de financiar parte das obras.", disse o pré-candidato.

Ao participar da inauguração do CEU em São Bernardo do Campo, Lula atende a um pedido especial do prefeito Luiz Marinho e estará junto de outras lideranças da legenda, como o atual ministro da Educação, Aloizio Mercadante, e a senadora Marta Suplicy (SP). Com relação à Marta, Haddad afirmou que não tem falado com ela nos últimos dias. Recentemente, a senadora disse que ele deveria gastar sola de sapato para conquistar a militância nessas eleições.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.