Há um mês na Presidência, Dilma continua no Torto

Presidenta não tem compromissos oficiais neste fimde semana e, segundo assessores, não deve receber visitas de trabalho

Andréia Sadi, iG Brasília |

Há quase um mês na Presidência, Dilma Rousseff continua morando na Granja do Torto, espécie de casa de campo oficial, em Brasília, onde passa o final de semana sem compromissos oficiais. Segundo assessores, a presidenta não deverá receber nenhuma visita de trabalho e passa o sábado e domingo descansando. Na segunda pela manhã, ela embarca para a Argentina onde cumpre uma agenda intensa com a presidente Cristina Kirchner.

Dilma só deverá mudar para o Palácio do Alvorada no começo de fevereiro. Em 2003, ao ser eleito pela primeira vez, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se mudou para o Alvorada já no dia 4 de janeiro.

A presidenta espera a conclusão de alguns reparos no palácio para se mudar. Ao ser eleita, ela avisou que passaria a viver no Alvorada acompanhada da mãe, Dilma Jane, e da tia, Arilda. Elas deixaram Belo Horizonte (MG) para morar com Dilma no Alvorada. A exemplo da Granja do Torto, o Alvorada terá um quarto reservado para a filha Paula, o marido Rafael Covolo e o neto Gabriel.

Desde o dia 15 de novembro, Dilma passou a morar na Granja do Torto e lá permaneceu durante todo o período de transição do governo. Os antecessores de Dilma, os ex-presidentes Lula e Fernando Henrique Cardoso afirmaram que o local era um dos mais agradáveis de Brasília, porque reunia beleza natural com uma arquitetura simples e acolhedora.

Os ex-presidentes também elegeram a Granja do Torto como o lugar para as reuniões ministeriais. Além de uma ampla sala, o local, que fica distante do centro de Brasília, dispõe de uma ampla área privativa. Ao se mudar para o Torto, Dilma repetiu o que fez o presidente Lula, em 2002, durante a transição.

    Leia tudo sobre: dilma rousseffgranja do torto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG