Governo pressiona e PT desiste de propor fim do Senado

Após iG revelar projeto de resolução propondo sistema unicameral, partido decide voltar atrás

Ricardo Galhardo, enviado a Brasília |

Pressionado pelas alas ligadas ao governo, o PT decidiu retirar da resolução política do 4º Congresso Nacional do partido o trecho em que defendia a extinção do Senado e adoção do sistema unicameral. A proposta foi revelada pelo iG na noite de quinta-feira .

Segundo fontes do partido, a revelação provocou uma forte pressão sobre a comissão encarregada de redigir a proposta de resolução. “Já não temos problemas o suficiente? O PT precisa abrir mais esse flanco de atrito?”, questionou um dirigente ligado ao governo.

Divulgação
Instância máxima do PT, Congresso tem poder de rever estatuto e dar linha de ação do partido

A sugestão de extinguir o Senado no âmbito da reforma política fazia parte da versão inicial da resolução política, conjunto de direcionamentos que serve para guiar os passos do partido em todas as instâncias até o próximo congresso, cuja data ainda não foi definida.

“A função revisora ( do Senado ) quebra nitidamente o princípio da soberania popular ao sob-rerepresentar Estados com menor população e sub-representar Estados com maior densidade populacional”, dizia o texto. O artigo foi suprimido. Nenhuma menção à necessidade do Senado ou ao sistema unicameral foi acrescentada.

De acordo com pessoas que tiveram acesso ao texto, a versão final, que será submetida ao plenário do congresso sábado, sofreu vários cortes e mudanças. A série de 13 propostas de “leis cidadãs” de iniciativa popular, concebida para ser o final apoteótico da resolução, foi reduzida a apenas um parágrafo.

Além disso, as propostas referentes à regulação da mídia foram excluídas e condensadas em uma resolução própria, que será apresentada separadamente.

    Leia tudo sobre: Congresso do PTPT

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG