Governo e centrais decidem eliminar terceirizados em obras do PAC

Objetivo é evitar os chamados 'gatos' são contratações irregulares feitas normalmente por empresas terceirizadas

Agência Brasil |

iG
Gilberto Carvalho foi escalado pela presidenta Dilma Rousseff para resolver o impasse
Representantes das centrais sindicais, do governo e dos empresários decidiram nesta quinta-feira (31), durante reunião em Brasília, que a contratação de trabalhadores para obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) deverá ser feita por meio do Sistema Nacional de Emprego (Sine). A informação foi dada pelo vice-presidente da Força Sindical, Miguel Torres.

O objetivo é eliminar do processo de contratação os chamados gatos, intermediários que vão atrás de mão de obra, especialmente em cidades do Norte e Nordeste. “Houve consenso sobre o sistema de contratação de mão de obra para eliminação do gato. O Sine, provavelmente, vai ser o órgão responsável. Está sendo estudada a viabilidade física”, disse Miguel Torres.

Segundo Torres, a violência nos canteiros de obras do PAC é outro ponto em discussão na reunião da comissão formada por representantes dos trabalhadores, dos empresários e do governo.

Participaram do encontro líderes de seis centrais sindicais, representantes das empresas responsáveis por obras do PAC e o secretário-geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho. A discussão foi motivada pelos conflitos que paralisaram as obras das usinas hidrelétricas Jirau e Santo Antônio, ambas em Rondônia.

Agora, os sindicalistas se reúnem com representantes das empresas Odebrecht, responsável pela obra da usina Santo Antônio, e Camargo Corrêa, responsável pela de Jirau.

    Leia tudo sobre: gilberto carvalhocentrais sindicaisreuniãoPAC

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG