Governo derruba manobra contra lei da informação

Sarney e Collor usaram brechas no regimento para adiar votação da lei da informação, mas governo reagiu a tempo

AE |

selo

O governo atropelou hoje a manobra dos presidentes do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e da Comissão de Relações Exteriores (CREA), senador Fernando Collor (PTB), para adiar por tempo indeterminado a votação do projeto de lei que trata do acesso a informações. A reação se deu pelo envio ao Senado, num prazo recorde, dos dados solicitados pelo requerimento de Collor.

Leia também: Sarney e Collor adiam votação da lei da informação

Agência Senado
José Sarney e Fernando Collor
O Regimento da Casa interrompe a tramitação de matéria enquanto aguarda respostas a ela relacionadas. Foi com essa finalidade que, um ano e meio depois do projeto tramitar no Senado, Collor encaminhou oito perguntas ao ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general José Elito Carvalho Siqueira, sobre os documentos sigilosos do País. Ele fez isso no dia 5, mas Sarney só despachou o requerimento na última segunda-feira.

O general teria o prazo de um mês para se manifestar. A presidenta Dilma Rousseff , no entanto, teria interferido para apressar a votação, a tempo de sancionar a lei antes do dia 20 deste mês, quando participa na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, de um painel sobre governos abertos. O senador Walter Pinheiro (PT-BA) disse que, sem a aprovação do projeto, Dilma seria a única entre os nove chefes de Estado convidados que não disporia de uma lei específica de acesso a informações no País.

Assinada pelo general, a resposta a Collor foi protocolada no Senado às 17h50 de hoje. São apenas duas páginas que, a grosso modo, repassam ao senador do PTB dados que ele poderia obter na internet ou que, se supõe, já devem ser de seu conhecimento.

José Sarney enfrenta agora um dilema: o de atender a presidente Dilma ou a Fernando Collor. O impasse se deve ao fato de Sarney e Collor defenderem o sigilo eterno para documentos ultrassecretos.

    Leia tudo sobre: fernando collorjosé sarneytransparência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG