Gilmar Mendes nega pedido de liberdade a Battisti

Ministro decidiu remeter caso do ex-ativista italiano ao plenário do Supremo Tribunal Federal

Severino Motta, iG Brasília |

Reprodução
Caso do ex-ativista deverá agora ser apreciado pelo plenário do Supremo
O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou o pedido de liberdade feito pela defesa do italiano Cesare Battisti. Em decisão proferida nesta segunda-feira, o magistrado diz que o caso, “em breve”, será analisado pelo plenário da Corte, não havendo a necessidade de se conceder a soltura do ex-ativista imediatamente.

Battisti está preso desde 2007. Ele foi condenado à prisão perpétua na Itália, seu país natal, por quatro assassinatos que ocorreram no final dos anos 1970, quando ele era integrante do grupo Proletários Armados pelo Comunismo (PAC).

 A defesa de Battisti fez o pedido de sua liberdade logo após o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, enviar parecer ao STF dizendo que o ato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva , que se negou a extraditar o italiano, foi legal.

 Na sexta-feira o pedido foi enviado para o ministro Joaquim Barbosa, uma vez que Mendes, relator do caso, estava em viagem oficial nos Estados Unidos. Como o retorno estava marcado para domingo, Barbosa preferiu esperar a volta do colega a ter que decidir em seu lugar.

Após o despacho desta tarde, Mendes deve levar o processo de Battisti para a apreciação do plenário na próxima semana.

    Leia tudo sobre: cesare battistigilmar mendes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG