Garotinho volta a ameaçar Planalto, mas sem apoio do PR

Deputado, que usou crise para pressionar governo a cancelar kit anti-homofobia, volta a usar denúncias para pedir apoio à PEC 300

AE |

selo

Uma semana depois de pressionar o governo e conseguir suspender a distribuição de um kit nas escolas contra homofobia, o ex-governador Anthony Garotinho (PR-RJ) voltou usar a crise em torno do ministro Antonio Palocci para ameaçar o Palácio do Planalto. Desta vez, entretanto, o deputado não recebeu o endosso de seu próprio partido.

Ontem, Garotinho voltou a dizer que poderia endossar a criação de uma CPI contra Palocci. Desta vez, a pressão veio acompanada da demanda para que a Câmara vote a chamada "PEC 300", que cria o piso salarial para policiais civis e militares. "O momento político é esse. Temos uma pedra preciosa, um diamante que custa R$ 20 milhões, que se chama Antonio Palocci", afirmou Garotinho.

Hoje, entretanto, o líder do PR na Câmara, Lincoln Portela (MG), disse que Garotinho fala "de maneira individual" ao fazer novas ameaças ao governo. "É um absurdo convocar o ministro para fazer barganha. Se atende a barganha, o ministro é honesto. Se não atende, é suspeito. Não gosto disso", declarou Portela.

    Leia tudo sobre: Anthony garotinhoantonio paloccicrise

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG