Gabrielli assume secretaria de planejamento da Bahia

Em mensagem, Lula, que está internado em São Paulo, atribui a Gabrielli a 'elevação da Petrobras ao mais alto nível da indústria'

AE |

selo

Cotado a suceder o governador Jaques Wagner (PT) na eleição de 2014, o ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, assumiu nesta sexta-feira a Secretaria de Planejamento da Bahia em uma concorrida cerimônia, realizada em um lotado auditório da Fundação Luís Eduardo Magalhães, no Centro Administrativo da Bahia, em Salvador.

AE
O ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli (esq.), é empossado como novo secretário de Planejamento da Bahia

O evento foi acompanhado por alguns caciques petistas, como o ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu e o ex-presidente da legenda - e da Petrobras - José Eduardo Dutra, ambos da mesma corrente de Gabrielli no PT, Construindo um Novo Brasil. Além deles, a atual presidente da Petrobras, Graça Foster, compareceu à solenidade.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também se fez presente, por meio de uma mensagem lida pelo mestre de cerimônias do evento. No texto, Lula atribui a Gabrielli a "elevação da Petrobras ao mais alto nível na indústria petroleira mundial" e a "liderança na descoberta do pré-sal". "Graças a esse desempenho você volta para sua terra com muito mais força para ajudar a construir o futuro da Bahia."

Apesar do grande aparato, os envolvidos tentaram não relacionar a chegada de Gabrielli ao governo com a eleição de 2014. "Isso não tem nada a ver com 2014, ele vem nos ajudar a melhorar a qualidade de gestão do Estado", disse Wagner.

A pasta receberá mais atribuições, por parte do governo. Além de absorver órgãos como a Agência de Fomento do Estado da Bahia (Desenbahia), responsável pela concessão de empréstimos à atividade produtiva no Estado - foram R$ 363 milhões no ano passado - a secretaria vai ser a responsável, segundo Wagner, pela atração de investimentos para o Estado.

"Antes temos de melhorar a eficiência do Estado, aumentar a captação de recursos, há muito trabalho a ser feito", respondeu Gabrielli, quando perguntado sobre a eleição de 2014. De acordo com ele, a presença de Dirceu e a mensagem de Lula não têm relação com o pleito. "São amigos meus há muito tempo, é natural que eles queiram participar deste momento."

    Leia tudo sobre: gabriellipossebahiajaques wagnerpt

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG