Futuro ministro dos Transportes é suspeito de crime eleitoral

Procuradoria Regional Eleitoral do Amazonas diz que Alfredo Nascimento participou de captação de votos em troca de combustível

Agência Brasil |

Alfredo Nascimento (PR-AM), futuro ministro dos Transportes, é acusado de crime eleitoral em uma representação ajuizada no Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM). Segundo a Procuradoria Regional Eleitoral do Amazonas (PRE-AM), Nascimento participou da captação ilícita de votos em troca de combustível.

O Ministério Público Eleitoral pede que Nascimento e o vereador Herivânio Seixas sejam declarados inelegíveis por oito anos e a aplicação de multa no valor de R$ 53.205,00.

Segundo o Ministério Público, o ato ilícito ocorreu no município de Humaitá (680 quilômetros de Manaus), e contou com a participação do vereador, que era membro do comitê de campanha de Nascimento para o governo do Estado. A representação afirma que no dia 21 de agosto, data em que Nascimento estaria em Humaitá, Seixas distribuiu combustível a eleitores para a realização de uma carreata a favor do candidato.

A Promotoria Eleitoral do Município de Humaitá flagrou o momento de distribuição, determinou a paralisação do abastecimento e decretou a prisão preventiva de Seixas. Ele alegou que estava apenas comprando água no posto, mas depoimentos de testemunhas comprovaram que o vereador estava comandando a distribuição de combustível. Além disso, foi detectada a emissão de dois cheques que somam R$ 3,1 mil reais em nome de uma empresa do vereador para a compra do combustível.

O senador Nascimento foi confirmado ontem como um dos ministros de Dilma Rousseff. Presidente nacional do PR, ele ficou à frente da pasta na maior parte dos dois mandatos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Nestas eleições, perdeu a corrida para o governo do estado para Omar Aziz (PMN).

    Leia tudo sobre: ministro transportesdenúnciavotoseleições

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG