Fraude que derrubou secretário em SP continua, segundo denúncia

Denúncia recebida pelo Ministério Público aponta que esquema envolvendo plantões de hospital de Sorocaba segue funcionando

AE |

selo

Apesar das prisões e da repercussão, o esquema de fraude nos plantões do Conjunto Hospitalar de Sorocaba (CHS) não parou de operar. A promotora Maria Aparecida Castanho, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério público de São Paulo, recebeu na terça-feira denúncia de que plantonistas continuam assinando o ponto e indo embora.

Após a operação, a Secretaria da Saúde do Estado prometeu aumentar o controle dos plantões. "O fato de ainda ter médico assinando o ponto sem trabalhar mostra que a fraude está entranhada no sistema hospitalar", disse Maria.

Os promotores receberam dossiê da subsecção de Sorocaba da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) com denúncias. Segundo o documento, a Comissão de Direitos Humanos da OAB recebeu e encaminhou ao MP e à secretaria denúncias de falta de médicos, mau atendimento, funcionamento precário de equipamentos e problemas nas licitações. "Foram abertos inquéritos e sindicâncias, mas todos foram arquivados", disse um membro da comissão, Luiz Ferraz.

A documentação é examinada por Maria e pelo promotor Cláudio Bonadia, na sede do Gaeco, sob proteção policial. Numa das paredes, foi montado um organograma das fraudes. No gráfico, com quase 5 metros de largura, eles definem o papel de cada envolvido. Não há prazo para o término da apuração. "Vamos terminar o quanto antes. O problema é que todo dia surgem fatos novos", disse Maria Aparecida. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: Ministério PúblicofraudeSorocaba

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG