Filho do prefeito de Jandira pede apuração rápida

Cerca de 10 mil pessoas passaram pelo Ginásio Municipal, onde o corpo foi velado entre 18h30 de sexta-feira e 15h deste sábado

AE |

selo

Foi sepultado na tarde de hoje o corpo do prefeito de Jandira, na Grande São Paulo, Walderi Braz Paschoalin (PSDB), assassinado ontem com uma rajada de metralhadora em frente a rádio onde gravaria seu programa de rádio semanal. Ele foi sepultado no jazigo da família no Cemitério Municipal de Jandira. 

AE
Corpo do prefeito Bráz Paschoali é velado no Ginásio Municipal de Jandira
Centenas de pessoas acompanharam o sepultamento. A filha dele, Ana Paula, passou mal e não conseguiu acompanhar o enterro. O filho do prefeito, Alexandre, estava bastante emocionado, mas falou com a imprensa e cobrou uma rápida apuração do caso. "Acho que tem como solucionar rápido porque todo mundo sabe o motivo", disse ele, se referindo a um possível crime político. Ele também desejou boa sorte para a vice-prefeita Anabel Sabatine, que também acompanhou o sepultamento. 

Cerca de 10 mil pessoas passaram pelo Ginásio Municipal, onde o corpo foi velado entre 18h30 de sexta-feira e 15h desta sábado, segundo informou a Guarda Civil. Após esse horário, o corpo saiu em carreata até o cemitério. 

Geraldo Alckmin (PSDB), que esteve na cidade na manhã de hoje, prestou solidariedade à família. Ontem, o governador de São Paulo, Alberto Goldman, e o senador eleito por São Paulo, Aloysio Nunes, compareceram ao velório. 

Paschoalin e o motorista Wellington Martins, conhecido como Geleia, foram atacados pouco antes das 8 horas de ontem. Martins passou por cirurgia, mas continua internado em estado grave no Hospital das Clínicas, em São Paulo.

    Leia tudo sobre: jandiraprefeitoassassinatobraz paschoalin

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG