Ficha Limpa tirou Jader, Capiberibe e Cunha Lima do Senado

Pelo menos 230 candidatos foram barrados em todo o Brasil devido à nova lei das inelegibilidades

Severino Motta, iG Brasília |

No Brasil, pelo menos 230 candidatos, entre aqueles que disputaram vagas para as Assembleias Legislativas, Câmara Federal, Senado e governo dos Estados, foram barrados pela Lei da Ficha Limpa. No plano federal, os casos de maior notoriedade foram o do ex-senador Jader Barbalho (PMDB-PA), do ex-governador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) e do ex-senador João Capiberibe (PSB-AP).

Reprodução
João Capiberibe, Jader Barbalho, Cássio Cunha Lima e Janete Capiberibe estariam eleitos não fosse a Lei da Ficha Limpa
Jader renunciou ao mandato para escapar de um processo de cassação. Cunha Lima perdeu o mandato de governador após uma condenação por abuso de poder econômico. Capiberibe, por sua vez, foi condenado por compra de votos nas eleições de 2002. Os três tiveram votos suficientes para conquistar uma vaga no Senado federal, mas foram barrados na Lei da Ficha Limpa.

Além deles, Janete Capiberibe (PSB-AP) teria conseguido uma vaga na Câmara Federal não fosse sua condenação por compra de votos que, assim como seu marido, João, a tornou inelegível com base na Ficha Limpa.

No ano passado quem também ficou na corda bamba foi o deputado Paulo Maluf (PP-SP). Devido a uma condenação por uma suposta compra de frangos superfaturados para a prefeitura de São Paulo, ele correu o risco de não ter seus votos validados. A Justiça paulista, contudo, anulou sua condenação e o político pode tomar posse na Câmara Federal.

    Leia tudo sobre: ficha limpajadercapiberibecunhalima

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG