FHC sai em defesa de CPI sobre corrupção

'Se for bom para o Brasil, até o governo deveria apoiar', afirma ex-presidente tucano

Denise Motta, iG Minas Gerais |

AE
FHC disse que maior problema do País é geração de emprego, e não corrupção
O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) defendeu no começo da tarde desta segunda-feira (29) a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar denúncias de corrupção no governo da presidenta Dilma Rousseff (PT). Em agenda na capital mineira, o tucano disse que pelo bem do Brasil, o próprio governo deveria apoiar.

“Se for uma CPI com objetivos de ser bom para o Brasil, não há mal nenhum e o próprio governo deveria apoiar”, disse. FHC ainda afirmou que a oposição pode sim formar uma convergência de forças para apurar irregularidades na gestão federal, “mas isso não significa adesão”. “Depende da atitude do governo de realmente querer fazer a faxina. Podemos buscar convergências, mas isso não pode ser confundido com adesão. Temos nossos pontos de vista divergentes. Oposição é oposição. Governo é governo”, frisou.

O tucano também destacou que o maior problema hoje no Brasil não é a corrupção, mas sim a geração de empregos e a melhoria salarial.

Em palestra para empresários na Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), o senador Aécio Neves (PSDB) defendeu uma convergência entre base de sustentação da presidenta Dilma e a oposição, pelo bem do Brasil, no que chamou de “pacto de governabilidade”. Apesar da defesa de conversas, criticou o “aumento de gastos irresponsáveis no ano passado” e a “falta de espaço para manobra.”

FHC foi questionado se, assim como Aécio, avaliava que Dilma ganhou “uma herança maldita” do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). E respondeu: “Não gosto desta expressão, mas normalmente os casos apontados ( de corrupção ) envolvem o governo anterior. Bendita é que não é.”

    Leia tudo sobre: aécio nevesfhc

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG