'Fala de Mantega é recado ao mercado', diz deputado do PSDB

Jutahy Júnior (PSDB-BA) afirma que presença de ministro da Fazenda na Câmara serviu para mostrar controle das contas

Adriano Ceolin, iG Brasília |

A oposição avaliou que a exposição do ministro da Fazenda, Guido Mantega , em defesa do salário mínimo de R$ 545 serviu como “mais um recado ao mercado” de que o governo da presidenta Dilma Rousseff será responsável com gastos públicos.

“A fala do ministro significa que o governo colocou todo o seu peso e força para mostrar ao mercado que haverá controle das contas”, disse o deputado Jutahy Júnior (PSDB-BA). “Eles estão jogando pesado. Não querem negociar com a base deles”, disse.

Para Jutahy, a postura do governo neste inicio de mandato é que não haverá continuidade ao que vinha sendo feito. “Todas as loucuras feitas eleger Dilma não terão continuidade neste primeiro momento”, disse o tucano. "Isso é estelionato eleitoral", completou.

O deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) afirmou que Mantega “seguiu script” ao ir ao Congresso defender o salário mínimo de R$ 545. “Eles vão segurar as contas nestes dois primeiros anos para poder gastar nos outros dois”, disse.

O DEM e o PSDB adotaram estratégias e valores diferentes em relação ao salário mínimo. O DEM se uniu ao PDT para defender os R$ 560. Já os tucanos decidiram apoiar o valor de R$ 600, proposta do programa de governo o candidato derrotado a presidente José Serra

    Leia tudo sobre: salário mínimomínimoCâmaraPSDB

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG