Executiva do PMDB impede governador do DF de disputar a reeleição

Alegando promessa feita por Rosso, de não se candidatar após o mandato tampão, PMDB vetou registro de candidatura

Severino Motta, iG Brasília |

A executiva do PMDB no Distrito Federal (DF) não aceitou o registro de candidatura do governador do Distrito Federal Rogério Rosso, que queria concorrer à reeleição. Em nota divulgada à imprensa o partido alega que o correligionário vai contra o código de ética da agremiação, uma vez que ele se comprometeu a não ser candidato casso vencesse a eleição para o mandato tampão no DF.

“No entender da Comissão Executiva do PMDB-DF, [o registro de candidatura] foi recusado por significar uma quebra do acordo que o partido assumiu com outros nove partidos que assinaram o documento que ficou conhecido como ‘Carta de Brasília’. (...) [Ela] estabelecia que o candidato eleito para o mandato tampão não disputaria nenhum cargo nas eleições de outubro de 2010”, diz trecho da nota.

Por isso, segue o documento, a convenção marcada para este sábado não vai deliberar sobre uma possível candidatura própria ao governo, tendo Rosso e sua vice, Ivelise Longhi, concorrendo à reeleição, mas somente decidir se o PMDB vai se aliar ou não com o PT formando uma chapa onde Agnelo Queiroz tenta se eleger governador e o presidente do PMDB do DF, Tadeu Filippelli, vice.

“Acordos são feito para serem cumpridos. Não é admissível que um projeto pessoal de poder venha comprometer todo o esforço que estamos fazendo para resgatar a normalidade política e a confiança das pessoas que vivem em Brasília. Além disso, é muito difícil compreender que, enquanto em outros estados há um esforço para construir os acordos aqui, o que estamos vendo é toda uma engrenagem disposta a desconstruir o que já conseguimos avançar”, disse Filippelli em nota.

A decisão de vetar Rosso foi tomada por seis dos 12 membros da executiva do PMDB do DF. Três foram a favor da candidatura própria e dois se abstiveram. O presidente Filippelli não votou.

Governador

Rogério Rosso disse que vai ingressar na Justiça, ainda esta noite, com um pedido de liminar para derrubar a decisão da Executiva do PMDB do DF. O governador ainda disse que sua candidatura é um desejo da população de Brasília e precisa ser respeitada.

“Essa decisão traz agora a certeza de que a condução do presidente regional do PMDB tem um viés pessoal e não coletivo. Minha decisão é defender o povo de Brasília e não interesses particulares. A Carta de Brasília apontava para uma direção que parecia, à época, os interesses da população. Hoje percebo que a intenção é exatamente o contrário, principalmente por parte de algumas siglas. É perfeitamente normal uma mudança de opinião quando interesses particulares se sobrepõem aos coletivos”.

    Leia tudo sobre: PMDBDFROssocandidatura

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG