Ex-desafeto, Rui Falcão sai em defesa de Fernando Pimentel

Presidente do PT e ministro do Desenvolvimento foram pivôs de crise na campanha presidencial de Dilma

Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, disse hoje que o ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, é um homem acima de qualquer suspeita e não deve mais satisfações sobre a evolução patrimonial de sua empresa de consultoria, a P-21.

“Pela sua história de vida e conduta pública o ministro Fernando Pimentel está acima de qualquer suspeita”, disse Falcão na manhã desta quinta-feira, antes de participar de uma reunião da direção nacional da CUT, em São Paulo.

A declaração de apoio ao correligionário seria natural não fosse o histórico de desavenças entre ambos. No ano passado, quando integravam a coordenação da campanha de Dilma Rousseff à Presidência, Falcão e Pimentel foram pivôs da mais aguda crise na equipe petista.


AE
Presidente do PT disse que não há motivos para colocar ministro sob suspeita; PT admite que pode ter havido fogo amigo nas denúncias




Integrantes da equipe da pré-campanha de Dilma contratados por Pimentel foram acusados de violar o sigilo fiscal da empresária Verônica Serra, filha do adversário de Dilma, José Serra (PSDB). Petistas ligados a Pimentel apontaram Falcão como autor do vazamento. O presidente do PT sempre negou. O resultado foi o afastamento de ambos do núcleo de coordenação da campanha.

“As explicações são mais do que satisfatórias. Não há nenhuma razão para colocá-lo sob suspeita”, reforçou Falcão. Além de colocar uma pedra sobre a crise eleitoral, as declarações de Falcão servem para afastar especulações de que as denúncias recentes contra Pimentel seriam um desdobramento da disputa do ano passado.

Em conversas privadas, a direção do PT não descarta a possibilidade de Pimentel ter sido alvo de fogo amigo, mas refuta os boatos sobre a origem e motivação das denúncias. “Se foi fogo amigo não partiu do PT nem do Planalto e o motivo não é o possível crescimento de Pimentel na reforma ministerial. Se foi fogo amigo é coisa da disputa em Minas Gerais”, disse um dirigente petista.

Além de afiançar apoio a Pimentel, o presidente do PT comentou o quadro eleitoral em São Paulo. Ao falar sobre um debate ocorrido no início da semana entre os quatro pré-candidatos do PSDB (Andrea Matarazzo, Bruno Covas, José Anibal e Ricardo Tripoli), Falcão deu a entender que o PT aposta em Serra como adversário de Fernando Haddad (PT).

“Ao que parece, pelas declarações do ex-prefeito José Serra, nem sei se estes candidatos vão chegar ao fim . Ele ( Serra ) os desqualificou, disse que nenhum dos quatro tem viabilidade eleitoral”, disse Falcão.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG