Exame de sangue feito em Brasília levantou suspeitas da doença

Check-up feito em São Paulo, que diagnosticou leucemia de Itamar, foi feito após hemograma apresentar alterações

Severino Motta, iG Brasília |

Um exame de sangue feito em Brasília na semana passada foi o ponto de partida para que o senador Itamar Franco (PPS-MG) descobrisse seu quadro de leucemia . De acordo com o principal assessor do político, e seu ex-chefe da Casa Civil, Henrique Hargreaves, ao tratar uma gripe acompanhada de sinusite, que ia e voltava, o mineiro fez um hemograma completo, onde detectou alterações que o levariam ao diagnóstico da doença.

“Depois de ver essas alterações no hemograma feito em Brasília ele voou para São Paulo, fez um check-up no Albert Einstein e descobriu a doença”, disse.

Questionado se percebeu algum tipo de alteração na saúde ou hábitos do senador, Hargreaves disse que nada foi percebido por quem convive com o político. “Ele teve uma gripe como essa que todos estão tendo em Brasília, inclusive eu. Mas, no geral ele estava bem, não tinha nenhum sintoma que despertasse mais atenção. Ninguém esperava isso”.

Itamar está internado desde o dia 21 no Einstein em São Paulo tratando da doença que, segundo boletim médico, está em fase inicial, o que auxilia o processo de cura.

De acordo com o diretor do centro de oncologia do Hospital Sírio-Libanês em Brasília, Gustavo Fernandes, a leucemia é um tipo de câncer do tecido que produz sangue, um tumor primário da medula óssea, por isso, diferente de outros tipos de câncer, não pode ser tratado com uma cirurgia, mas com remédios que circulem por toda a corrente sanguínea.

A taxa de sucesso no tratamento varia de acordo com o tipo de leucemia e idade do paciente. Nos casos agudos, em que os sintomas aparecem logo após o início da doença, a taxa de sucesso chega a 90% em crianças, e cai para a metade de pacientes adultos.

O tratamento é feito com quimioterapia e imunoterapia, quando são usados anticorpos específicos para combater a doença, além do transplante de medulea óssea, em determinados casos. Ainda de acordo com ele, os sintomas relacionados à leucemia são queda da imunidade, anemia, infecções, fraqueza e manchas no corpo.

Ainda não foi divulgado qual o tipo específico de leucemia que abateu Itamar, o que impossibilita uma avaliação mais precisa do quadro. “Falar que alguém tem leucemia é como falar que alguém um carro, ou que vai comer comida, são muitos tipos, cada um com um tratamento adequado”, explicou.

Ele também comentou que o fato da doença ser diagnostica num momento inicial amplia as chances de cura. Sobre a duração do tratamento, o médico comentou que há pacientes que em alguns meses se curam, outros precisam se tratar indefinidamente.

    Leia tudo sobre: itamarleucemia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG