Estudantes protestam contra reajuste dos parlamentares

Os parlamentares terão aumento de 61,83%; efeito cascata do reajuste de deputados vai custar ao País R$ 2 bi ao ano

AE |

selo

Agência Estado
Estudantes juntam-se para formar um cifrão no gramado do Congresso para protestar contra o reajuste de salário dos parlamentares
Cerca de 200 estudantes estiveram nesta terça-feira no Congresso Nacional para protestar contra o aumento de 61,83% no salário dos parlamentares, aprovado por eles próprios. O decreto legislativo fixando o mesmo reajuste para presidente da República, vice-presidente e ministros de Estado foi publicado nesta terça-feira no Diário Oficial da União (DOU) e passará a vigorar a partir do dia 1º de janeiro.

Os estudantes tentaram entrar no Congresso pela Chapelaria, mas foram impedidos pelos seguranças. Depois, buscaram invadir a rampa do prédio, porém também foram barrados. Eles, então, ocuparam o espelho d'água, em frente ao prédio, e mais adiante, no gramado, desenharam com o próprio corpo um grande cifrão, a fim de marcar o fim do protesto.

Efeito cascata

A vinculação dos salários dos deputados estaduais e vereadores aos vencimentos dos deputados federais, que aprovaram um aumento de 61,8% em seus salários, vai resultar em um custo adicional estimado em R$ 128,7 milhões nas folhas de pagamento das assembleias estaduais e de R$ 1,8 bilhão nas Câmaras municipais a cada ano.

O aumento dos gastos, estimado pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM), equivale a um sexto do que o governo desembolsa por ano (R$ 13 bilhões) para atender a 12,7 milhões de beneficiários do Bolsa Família, maior programa social do governo Lula.

    Leia tudo sobre: aumento salarialdeputados

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG