Estimulado por FHC, Aécio destaca sintonia de tucanos com PSB

Rebatendo críticas, senador diz que oposição se manifesta com extrema firmeza

Denise Motta, iG Minas Gerais |

Wellington Pedro/Imprensa MG
O senador Aécio Neves, o governador Anastasia e o prefeito de BH, Marcio Lacerda
Nesta segunda-feira, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) afirmou que sente-se estimulado pelas declarações do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), referentes à uma eventual candidatura à Presidência da República em 2014. FHC vem declarando que Aécio é um candidato óbvio e natural e também tem ponderado sobre o desempenho da oposição no Congresso Nacional.

"Eduardo Campos e Aécio são amigos e podem fazer chapa fortíssima"

“É claro que eu reconheço isso (declarações de FHC) como um estímulo, uma possível candidatura. Eu tenho conversado muito com o presidente Fernando Henrique, suas análises são sempre, devem sempre ser ouvidas e aprofundadas. Em relação ao papel da oposição, eu vejo esta crítica permanente de que a oposição é frágil e não é vigorosa. Eu tenho divergência em relação a essa visão. Eu acho que estamos saindo do primeiro ano do mandato dos que foram eleitos, da presidente Dilma. É natural que o protagonismo da cena política seja daqueles que venceram as eleições. A oposição tem se manifestado com extrema firmeza em relação a todas estas denúncias que ocorreram e malfeitos dentro do governo”, destacou o senador.

Veja também: Aécio diz que busca parceria com PSB para 2014

Sobre a importância do PSB para eventual projeto presidencial em 2014, o senador destacou sintonia entre a legenda do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, e os tucanos. Aécio reuniu-se com o governador de Minas Antonio Anastasia (PSDB) e com o prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), nesta segunda, no Palácio Tiradentes, sede do Poder Executivo em Belo Horizonte. Negando ser candidato em 2014, sob argumento de que esta questão ainda não está em discussão, o senador mineiro reconhece a importância do PSB.

“É muito difícil qualquer candidato vencer as eleições sem um leque de apoios que extrapole seu partido. Em relação ao PSB temos que respeitar a posição de base de apoio da presidente da República, mas em vários Estados brasileiros há uma sintonia muito grande, uma identidade muito grande do PSB com o PSDB. Isso ocorre em Minas Gerais, no Paraná, na Paraíba e vem ocorrendo em São Paulo, para citar apenas alguns exemplos. As alianças vão se dar em função das circunstâncias do momento, que não podem ser antecipadas ainda”, frisou.

Aécio negou que o apoio à reeleição do prefeito da capital mineira entre na contabilidade de apoio à uma eventual candidatura sua em 2014, à presidência. “Seria um equívoco antecipar 2014 para agora. Não se cogita isso, ele é candidato à prefeitura de Belo Horizonte”, respondeu ao ser questionado sobre a possibilidade de Lacerda disputar a sucessão de Anastasia. O PSDB, lembrou Aécio, caminha para apoiar, em Belo Horizonte, a reeleição de Lacerda.

    Leia tudo sobre: aéciominaspsbfhc

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG