Gilberto Carvalho confirma saída de Orlando Silva e afirma que opção deve ser por um substituto temporário

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, confirmou no fim da tarde desta quarta-feira que o ministro do Esporte, Orlando Silva, está fora do cargo . O anúncio ocorre após mais de seis horas de reuniões e negociações para definir os detalhes da troca de comando na pasta, antecipada na manhã desta quarta-feira pela coluna Poder Online .

Leia também:
- Pressionado, Orlando Silva deixa o Mnistério do Esporte
- Poder Online: Orlando Silva deixa o comando do ministério
- Saída foi pensada para preservar autoridade da presidenta Dilma

Em entrevista coletiva no Palácio do Planalto, Carvalho confirmou também a informação de que o governo poderá optar por um substituto interino para o ministro, como informou o iG pela manhã . “É o mais provável”, afirmou Carvalho, reafirmando também a informação de que a pasta deve continuar sob comando do PC do B.

Gilberto Carvalho confirmou saída após mais de seis horas de discussões para formalizar saída
Agência Brasil
Gilberto Carvalho confirmou saída após mais de seis horas de discussões para formalizar saída

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência evitou citar nomes de possíveis substitutos. Ao longo do dia, foram ventilados opções como os do deputado Aldo Rebelo (SP) e do presidente da Embratur, Flávio Dino (PC do B-MA), e da ex-prefeita de Olinda Luciana Santos (PC do B-PE). Se o governo optar por manter o secretário-executivo no posto em caráter temporário, a vaga pode ficar com Waldemar Manoel Silva de Souza (PC do B-RJ).

"Orlando teve uma atitude madura. Eu respeito e louvo a atitude do PCdoB", disse Carvalho, relatando a conversa que teve na manhã de hoje com Orlando Silva e com o presidente do PC do B, Renato Rabelo.

A forma como se dará a saída de Orlando Silva, segundo Carvalho, ainda será acertada na reunião marcada para o fim do dia entre o ministro e a presidenta Dilma Rousseff . O encontro estava marcado inicialmente para as 17h30, logo após audiência da presidenta com a direção do grupo PSA Peugeot Citröen.

Carvalho afirmou que a decisão de trocar o comando do ministério foi tomada em grande parte em decorrência da abertura de uma investigação sobre o caso no Supremo Tribunal Federal. “A abertura de inquérito pelo Supremo foi fator determinante para a mudança da situação”, disse o ministro.

*Com informações da Agência Estado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.