Associações do comércio, indústria e pequenas empresas destacam qualidades do ex-vice-presidente

Os representantes dos setores de comércio e indústria se despedem do ex-presidente José de Alencar, que faleceu no início da tarde desta terça-feira, 29, com mensagens carinhosas que exaltam suas qualidades como empresário e político. “Foi mais que um grande homem. Foi um vitorioso de corpo e alma, cujo coração foi a expressão maior de todas as virtudes essenciais”, diz a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio).

Representando a Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, presidente da entidade, diz que Alencar foi “um industrial ousado e um líder empresarial que soube, com sabedoria e espírito empreendedor, construir o maior grupo têxtil do país.” “Perdemos um grande amigo e um brasileiro exemplar”. Para o presidente do conselho do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo (Sebrae-SP), Alencar Burti, “Alencar deixa uma lição que não será esquecida, pela coragem com que defendeu a vida, sem nunca perder a alegria.”

CNI e Fecomercio destacaram a relevância de Alencar como empresário do setor têxtil no País e o empenho do ex-presidente na luta pela vida. “Pequeno varejista, transformou cortes e retalhos de tecidos no maior complexo têxtil brasileiro, uma transnacional com presença nos quatro cantos do mercado global. A mesma força e a coragem que despendeu para a concretização de seus negócios, empregou-as para enfrentar a doença implacável.”

“Com bravura inominável manteve, até o fim, a altivez dos vencedores, a serenidade dos que tem a certeza de haver feito o bem, a humildade dos que acreditam que seus feitos decorrem apenas da ordem natural das coisas,” afirma a Fecomercio em nota.

“Político habilidoso, ajudou, com a mesma tenacidade que lutou pela vida, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva a recolocar o Brasil no caminho do crescimento e projetar o país no exterior”, disse Andrade, da CNI.

“A vida de José Alencar será sempre um testemunho inabalável de que o trabalho vale a pena e de que a política — exercida com ética e espírito público — é o meio legítimo, eficaz e digno de se contribuir para o bem comum”, afirmou Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Fabio Arruda Mortara, presidente do Sindicato das Indústrias Gráficas no Estado de São Paulo (Sindigraf-SP), disse que "o vice-presidente aproximou os empresários do setor público".

Lamentando que Alencar não esteja mais vivo para ver o Brasil ser uma “sociedade desenvolvida”, objetivo que “o ex-vice-presidente sempre perseguiu”, a Fecomercio diz ainda que “este realizador de corpo e alma fará muito falta” e torce para que surjam “novos personagens em nossa história tão majestosos quanto o foi o nosso querido José Alencar.”

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.