Em Washington, Lula prevê julgamento do mensalão para 2050

Em estreia como palestrante internacional, ex-presidente disse que não sabe se o relator do caso aceitará o relatório final da PF

AE |

selo

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva previu o julgamento do caso do mensalão apenas por volta de 2050, caso o relatório final da Polícia Federal (PF) seja incorporado aos autos do processo por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). A questão está nas mãos do ministro do STF Joaquim Barbosa, relator do caso.

Lula chegou a questionar o conteúdo do documento, revelado pela revista Época . "Não tem relatório final do mensalão. Tem uma peça que dizem que foi o relatório produzido pela Polícia Federal. Mas não se sabe se o ministro Joaquim vai receber ou não, se aquilo vai entrar nos autos do processo", afirmou o ex-presidente. "Se entrar, todos os advogados de defesa vão pedir prazo para julgar. Então, vai ser julgado em 2050. Não sei se isso vai acontecer", completou, depois de ter feito palestra remunerada no Fórum de Líderes do Setor Público, promovido pela Microsoft, em Washington (EUA).

Desde 2005, quando o escândalo veio à tona, o então presidente Lula vinha negando sistematicamente sua existência. Ontem não chegou a tanto. Embora Lula tenha levantado dúvidas sobre a legitimidade do documento, o relatório da PF concluiu ter realmente existido o esquema de desvio de dinheiro público para o pagamento de políticos intermediado por empresas do publicitário Marcos Valério. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: lulapalestraeuamicrosoft

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG