Presidente encerra hoje sua última viagem oficial antes de passar a faixa à sucessora Dilma Rousseff

Presidente Lula durante visita ao Complexo Industrial e Portuário do Pecém, Ceará
Ricardo Stuckert
Presidente Lula durante visita ao Complexo Industrial e Portuário do Pecém, Ceará
No penúltimo destino do roteiro de viagens que marca sua despedida do cargo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva aproveitou a visita que realizou no fim da manhã de hoje ao Ceará para retomar as críticas à elite que guiaram seus discursos no passado. Lula, que entrega a faixa à sucessora Dilma Rousseff no próximo dia 1º, queixou-se dos que "ficam sentados bebendo uísque" e "dizem que pobre só gosta de pinga".

"Esse negócio de que pobre não gosta de luxo é bobagem", afirmou o presidente, que participou da cerimônia de lançamento da pedra fundamental de uma refinaria na região de Caucaia (CE). "Isso é coisa de quem explorou a gente a vida inteira", emendou.

Lula também aproveitou para pregar a emancipação dos nordestinos, que, segundo ele, precisam ter as mesmas chances antes reservadas aos brasileiros que vivem no Sul e no Sudeste do País. "O que quero é que o Nordeste tenha a mesma oportunidade", disse. "No fundo no fundo, nós queremos dizer: 'Nós nordestinos queremos ainda ser pedreiros, mas queremos mais. Queremos ser engenheiros, queremos ser médicos'."

Lula também voltou a destacar o fato de não ter cursado uma universidade, ao contrário de seus antecessores. "Deus escreve certo por linhas tortas. Eu e o José Alencar somos o primeiro presidente e o primeiro vice-presidente que não têm diploma universitário", disse Lula.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.