Em SP, PC do B oficializa entrada no governo Kassab

Tradicional aliado do PT aderiu ao governo Kassab com cargo na Secretaria Especial de Articulação para a Copa de 2014

AE |

selo

O PC do B, tradicional aliado do PT, agora faz parte do governo do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. A oficialização aconteceu hoje, com a posse do secretário especial de Articulação para a Copa de 2014, Gilmar Tadeu Alves.

AE
O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab
Os comunistas esperaram o desligamento de Kassab do DEM e a criação do PSD para integrar em definitivo a base governista na capital, contrariando a vontade do PT municipal. Nacionalmente, o PC do B continua na base do governo da presidente Dilma Rousseff (PT).

A cerimônia de posse do novo secretário contou com a cúpula do partido no Estado e na capital paulista. O vereador Netinho de Paula, pré-candidato do PC do B à sucessão de Kassab, e a presidente do diretório estadual, Nádia Campeão, foram destaques no evento e fizeram discursos acalorados. "O PSD é muito bem vindo na democracia brasileira. Nós saudamos a iniciativa do prefeito de criar um novo partido", cumprimentou Nádia.

A dirigente também elogiou o ideia do PSD de se juntar à base da presidente Dilma Rousseff. "O PSD vai se somar a este caminho", disse. Além de Nádia e Netinho, participaram da posse o deputado federal Protógenes Queiroz, que já manifestou o desejo de disputar a Prefeitura de São Paulo, o deputado estadual Pedro Bigardi e o vereador Jamil Murad.

Ignorando as críticas do PT, que recentemente condenou a aliança entre o PC do B e o prefeito de São Paulo em um manifesto, Netinho argumentou que seu partido trabalha visando o "melhor" para o município. "O PC do B trabalha para o bem da cidade", afirmou o pré-candidato à Prefeitura.

Kassab vem trabalhando nos últimos meses para atrair os antigos aliados do PT. Ao PC do B foi oferecido a secretária especial para a Copa, proposta que, segundo o prefeito, tinha relação com o fato de o partido já ocupar o Ministério dos Esportes, o que poderia estreitar o diálogo com a pasta.

O diretório municipal do PC do B aceitou o convite de imediato, mas foi barrado pelo diretório nacional, que decidiu esperar pelo avanço de Kassab em direção aos partidos da base do governo federal. "A nossa participação (no governo Kassab) está dentro deste grande momento em que o prefeito trafega para a base do governo Dilma", justificou Gilmar Tadeu.

Já o PT, que tinha esperanças de não ver a aliança concretizada, percebeu que as negociações entre Kassab e PC do B já estavam avançadas em dezembro. A prova definitiva veio com o acordo entre o prefeito e o partido para a eleição da mesa diretora da Câmara Municipal. "Eles estão agora na base do governo e o espaço para diálogo ficou mais restrito", reclamou no último dia 15 o presidente do diretório municipal do PT, vereador Antonio Donato.

Nesta manhã, durante seu discurso, o prefeito ficou à vontade para chamar os antigos oposicionistas de "companheiros" e "amigos do PC do B". "Seja muito bem vindo Tadeu, seja muito bem vindo PCdoB, e que possamos juntos fazer o melhor pela cidade de São Paulo", saudou o prefeito.

    Leia tudo sobre: pc do bgoverno kassab

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG