Em São Paulo, Alckmin anuncia três secretários estaduais

Vice-governador eleito vai acumular a pasta de Desenvolvimento, enquanto Saulo Abreu vai para Transportes

Daniela Almeida, iG São Paulo |

O governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou na tarde desta quinta-feira os nomes de três secretários que farão parte de seu primeiro escalão a partir do mês que vem. Os nomes divulgados em coletiva no prédio da transição são para as pastas de Desenvolvimento, Transportes e Transportes Metropolitanos.

A frente do Desenvolvimento estará o vice-governador eleito Guilherme Afif Domingos (DEM). Para a Secretaria Estadual dos Transportes o escolhido foi o procurador Saulo de Castro Abreu Filho (PSDB), que até 2006 atuou como secretário de Segurança Pública do Estado, durante o governo Alckmin. Já para a pasta de Transportes Metropolitanos o titular será Jurandir Fernandes (PSDB), que já atuou como secretário municipal de Transportes em Campinas.

Questionado sobre as outras secretarias, o governador respondeu que as conversas com outros partidos e citou como exemplo a conversa que teve com o PV na qual recebeu do partido um documento com uma série de propostas de governo.

Foi anunciada a extinção da Secretaria de Ensino Superior, à qual estão subordinadas as universidades estaduais e também a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). De acordo com o governador eleito será montada no próximo ano a quarta universidade paulista, que será a Universidade Virtual (Univesp), para avançar no ensino público gratuito superior.

A ideia é promover o ensino à distância. Os assuntos da secretaria a ser extinta serão absorvidos pela Secretaria de Desenvolvimento. De acordo com Alckmin a iniciativa tem objetivo de combater o desemprego já que grande parte dos desempregados tem baixa escolaridade, na sua avaliação.

Na Secretaria de Transportes Metropolitanos a prioridade serão as obras do Metrô com avanços na CPTM e a construção da linha 5. Segundo o novo secretário, Jurandir Fernandes, o Estado colocará à disposição da população 400 novos trens metropolitanos entre 2011 e 2012.

A revisão dos preços dos pedágios, uma promessa de campanha de Alckmin, é a meta na pasta de Transportes. "Nenhum dos lados pode ganhar mais que o outro. Nem governo nem concessionárias", disse Saulo Abreu. O novo secretário prometeu que o que puder ser reduzido no preço dos pedágios previstos em contratos será revertido para a população.

    Leia tudo sobre: são pauloalckmintransição

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG