Governador destacou "trabalhos conjuntos" do Estado e da União ao evitar críticas ao governo petista

selo

Governador optou por manter tom ameno em relação ao governo federal
AE
Governador optou por manter tom ameno em relação ao governo federal
Enquanto políticos tucanos fazem duras críticas ao governo federal, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), evitou comentar a avalanche de denúncias que atinge a administração Dilma Rousseff . Indagado sobre os recentes escândalos nos ministérios dos Transportes, Agricultura e Turismo, Alckmin admitiu hoje, em Araraquara (SP), que evita "ficar reiteradamente fazendo críticas" a Dilma e, dentre as justificativas para a postura, citou a parceria entre os governos federal e paulista, principalmente em obras.

"A população brasileira sabe entender e acredito no julgamento popular. A tarefa mais importante nossa é trabalhar bem e fazer um ( bom ) trabalho", disse. "E nós temos vários trabalhos conjuntos com o governo federal", complementou o governador, citando obras paulistas tocadas juntamente com a administração Dilma, como o Rodoanel norte e a hidrovia Tietê-Paraná.

Em nome dessa parceria administrativa, Alckmin amenizou até mesmo a forte queda na avaliação do governo e da própria presidente Dilma, apontada hoje pela pesquisa CNI Ibope. Segundo o levantamento, a avaliação pessoal de Dilma caiu de 73% para 67% e a do governo recuou de 56% para 48% ante a pesquisa anterior, do mês de março. "Acho que é uma boa avaliação e nós torcemos para a presidente, pelo seu governo, pelo seu trabalho. São Paulo é parceiro do Brasil e essas oscilações são normais", disse Alckmin.

Em relação às denúncias sobre ministros do PMDB, Alckmin, que tem o apoio de políticos do partido no Estado, também evitou polêmicas. "Isso é assunto federal, a presidente tem espírito público e saberá resolver essas questões", avaliou.

Crise

Até mesmo quando demonstrou preocupação com a ameaça de uma nova crise mundial, o governador de São Paulo procurou afagar a presidente Dilma. Segundo ele, a economia mundial vive momento de incerteza, "mas o Brasil está bem".

"Vamos torcer para que a economia mundial caminhe para o País crescer bastante", avaliou Alckmin, brincando: "É um momento estranho. Na minha terra ( Pindamonhangaba-SP ) se dizia que vaca não está reconhecendo bezerro".

Alckmin visitou hoje a unidade da Big Dutchman, de fabricação de equipamentos para a criação de frangos e suínos, em Araraquara, que será inaugurada hoje. Ainda na cidade paulista, o governador visita também a unidade da Iesa, companhia que assina um protocolo de intenções com a Hitachi para futura produção de trens, inaugura um batalhão da Polícia Militar (PM) e encerra o dia em uma visita ao Instituto de Química da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.