Em meio à crise no governo do Rio, Dilma manifesta apoio a Sérgio Cabral

Presidenta participou no Rio de Janeiro de cerimônia de 60 anos do jornal carioca "O Dia"

Flávia Salme, iG Rio de Janeiro |

Agência O Globo
A presidenta Dilma Rousseff e o governador do Rio, Sérgio Cabral durante evento em homenagem a jornal carioca
A presidenta Dilma Rousseff aproveitou o evento de aniversário do jornal carioca "O Dia", na noite desta segunda-feira (27), para declarar apoio ao governador fluminense, Sérgio Cabral .

Desde a queda de um helicóptero em que Cabral viajaria e que provocou a morte de sete pessoas no último dia 17, em Porto Seguro, o governador tem sido questionado sobre suas relações pessoais e favores que recebeu de empresários que mantém contratos com a administração estadual.

"Estive no governo federal antes de ser presidenta, como ministra-chefe da Casa Civil e vi
a diferença aqui no Rio quando o governo do Sérgio Cabral começou. Todo dinamismo e toda
a dedicação para melhorar o Rio de Janeiro e para dar ao Estado o que ele merecia, que é
o desenvolvimento de todo o seu potencial", afirmou.

"Isso significa que houve interesse do governo no que se refere a obras de infraestrutura, melhorias
no investimento, uma siderúrgica, uma refinaria, varias estradas, mas também compromisso com o povo mais pobre do Rio, e sendo exemplo para o Brasil no que se refere as UPPs (Unidades de Polícia Pacificadoras)", declarou.

Parceria mantida

Os elogios de Dilma a Cabral foram feitos logo no início da fala da presidenta, que reafirmou durante os cumprimentos a sua intenção de manter as parcerias com o governo fluminense.

Desde o acidente na Bahia, o governador tem sido questionado sobre o uso de um avião emprestado pelo empresário Eike Batista para que ele seguisse do Rio de Janeiro para o Estado da Bahia, onde participaria da festa do também empresário Fernando Cavendish, dono da Delta Construções.

Eike doou R$ 750 mil para a campanha de reeleição de Cabral. Já a Delta Construções, faturou R$ 1 bilhão em contratos com o governo do Rio entre 2006 e 2011. Um quarto destes negócios foi feito com dispensa de licitação.

O governador esteve presente no evento em sua primeira aparição pública desde o acidente, que matou a namorada de um de seus filhos, Mariana Noleto. Após a tragédia, Cabral chegou a tirar sete dias de licença sob alegação de que tinha que resolver problemas pessoais.

Cabral não respondeu as críticas que vem recebendo e se limitou a parabenizar o jornal "O Dia" pelos 60 anos do periódico.

    Leia tudo sobre: Dilma rousseffsérgio cabral

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG