Em jantar vip, Lula reclama que querem 'jogá-lo contra Dilma'

Depois da festa de comemoração aos 31 anos do partido, petistas seguiram para coquetel na casa do advogado Sigmaringa Seixas

Andréia Sadi, iG Brasília |

Cerca de 30 convidados vips esticaram as comemarações do aniversário de 31 anos do PT ontem à noite na casa do advogado Sigmaringa Seixas. Após evento do partido no sindicado dos Bancários, em Brasília, a presidenta Dilma Rousseff e o padrinho Luiz Inácio Lula da Silva foram recebidos com coquetel, regado a uísque e vinho, seguido por jantar na casa de Sigmaringa. Ao lado da ex-primeira-dama Maris Letícia, Lula circulou por diversas rodinhas, segundo relato de participantes.

Em um círculo restritito, que contou com Antonio Palocci e outros seis ministros, o ex-presidente voltou a se queixar de que "acha engraçado" quando tentam "jogá-lo" contra Dilma. A presidenta já não estava mais na festa quando Lula fez o comentário. "Ele usou o mesmo tom que usou no discurso do PT. Que a relação dele com Dilma é indestrutível", relatou um convidado.

Cansada, Dilma pediu desculpas aos presentes e foi uma das primeiras convidadas a se retirar da festa. Antes de ir, em tom emocionado, conversou com Lula sobre o ex-vice José Alencar e a visita que havia feito a ele na manhã de ontem, em São Paulo.

Estiveram presentes no jantar o ex-ministro da Casa Civi José Dirceu, José Genoino, os ministros Luiz Sergio (Integração Nacional), Paulo Bernardo (Comunicações), Iriny Lopes (de Políticas para Mulheres) e José Eduardo Cardozo (Justiça) além dos governadores Tarso Genro, do Rio Grande do Sul, e Marcelo Deda, de Sergipe.

De partidos aliados, estavam Renato Rebelo, do Pc do B e o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, do PSB.

    Leia tudo sobre: luladilma rousseffptfestacoquetel

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG