Em Cúpula no Peru, Dilma pode avançar em acordo com países árabes

Encontro servirá também para líderes políticos conhecerem as propostas da presidenta e alinhar acordos de interesse mútuo

Agência Brasil |

O governo do Brasil quer aproveitar a 3ª Cúpula América do Sul-Países Árabes (Aspa), em Lima (no Peru), para avançar nas negociações comerciais e fechar acordos específicos. A ideia é alinhavar parcerias econômicas, sociais, ambientais e culturais com os países árabes. Um dos acordos a ser fechado nessa cúpula é de livre comércio do Brasil com a Jordânia, os Emirados Árabes, Omã e Marrocos.

No intervalo das sessões, a presidenta Dilma Rousseff deve aproveitar para conversar com vários presidentes da República. A relação de reuniões aumenta diariamente. Inicialmente, estão previstas conversas de Dilma com os presidentes da Venezuela, Hugo Chávez, e da Colômbia, Juan Manuel Santos. Mas até o embarque da presidenta, outros nomes devem ser incluídos.

De acordo com diplomatas que organizam a cúpula, reuniões como essa em Lima são aproveitadas também pelos chefes de Estado e de governo para conversas bilaterais. Como a presidenta assumiu o governo no começo deste mês, os líderes políticos querem conhecer as propostas dela e alinhavar os acordos de interesse mútuo.

Atualmente o Brasil tem acordos de livre comércio com o Egito, a Síria e a Palestina. Nos últimos cinco anos, dobraram os investimentos multilaterais entre os países sul-americanos e os árabes, saltando de US$ 10,5 bilhões, em 2005, para US$ 19,54 bilhões, em 2010. Os acordos são fechados em bloco, formalizando as relações do Mercosul com os países árabes.

Também há oportunidade de os empresários das duas regiões ampliarem as negociações. No dia 15 de fevereiro, haverá o fórum empresarial birregional. O chefe do Departamento de Mecanismos Interregionais do Ministério das Relações Exteriores, embaixador Gilberto Moura, disse que a tendência é aumentar cada vez mais a aproximação entre essas regiões.

“O nosso esforço é para aumentar a conectividade em todas as áreas, no setor aéreo, aumentando as possibilidades de voos e transporte marítimo para o envio das mercadorias”, afirmou o diplomata. “E estamos conseguindo com sucesso isso.”

Na tentativa de reduzir as diferenças e aumentar a aproximação, no ano passado foi criado um site na internet para reunir as melhores práticas sociais em execução nos países sul-americanos e árabes. Segundo o embaixador, há interesses dos dois lados em conhecer as “experiências bem-sucedidas” para colocá-las em prática.

    Leia tudo sobre: comunidade árabedilma rousseffperu

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG