Em Campinas, escritório de publicitário do PT foi usado por lobista

Revelação foi feita por ex-presidente da Sanasa, empresa envolvida no caso de corrupção e fraudes em licitações

AE |

selo

Ás da comunicação e marketing de campanhas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva , da senadora Marta Suplicy e outros nomes do primeiro escalão do PT, o publicitário Dudu Godoy emprestou seu escritório em Campinas para uma reunião de lobistas da organização criminosa a quem o Ministério Público imputa fraudes em série e desvios de R$ 615 milhões dos cofres públicos.

A revelação, incluída no relatório de inteligência da promotoria, foi feita por Luiz Augusto Castrillon de Aquino, ex-presidente da Sanasa, companhia de saneamento de Campinas, foco de corrupção que aponta para políticos próximos a Lula. Aquino fez acordo de delação premiada. Em busca do perdão judicial ofereceu dois relatos minuciosos, em janeiro, nos quais traça os movimentos do grupo que teria se apossado de setores da administração Dr. Hélio (PDT), prefeito de Campinas e amigo do ex-presidente.

A promotoria afirma que Rosely Nassim, primeira-dama e chefe de gabinete do marido prefeito, ocupa o topo da organização. Ela ia ser presa, mas um habeas corpus a livrou de "medidas coercitivas".

A promotoria quer saber o grau de relação entre Dudu Godoy, Aquino e os lobistas Emerson Geraldo de Oliveira e Maurício Manduca. Alvos da devassa, Oliveira e Mancuda seriam o elo de prefeitos e empresários no esquema de corrupção. A próxima etapa da investigação mira contratos da prefeitura de Campinas na área de publicidade. Oliveira e Manduca foram presos em setembro, quando a promotoria deflagrou a primeira fase da operação. Há duas semanas, a Justiça ordenou novamente a prisão dos dois.

O delator afirma que Dudu Godoy o procurou e intermediou encontro dos lobistas para "resolver o impasse". O publicitário confirma ter cedido seu gabinete para os protagonistas do escândalo que assombra Campinas e inquieta o PT. Mas nega que tenha procurado Aquino. "Quem solicitou o escritório para fazer uma reunião foi o próprio senhor Aquino, pedindo para fazer uma reunião com umas pessoas", retrucou o publicitário.

Defesa

Godoy afirmou ao jornal O Estado de S. Paulo que "não é amigo" dos lobistas Emerson Oliveira e Maurício Manduca, alvos da devassa do Ministério Público. Ele esclareceu que quem o apresentou aos lobistas foi Castrillon de Aquino, ex-presidente da Sanasa. Dudu disse que "no depoimento do senhor Aquino há um equívoco". "Quem solicitou o escritório para fazer uma reunião foi o próprio senhor Aquino, pedindo para fazer uma reunião com umas pessoas", rechaça.

Por e-mail, ele se manifestou sobre o caso. "Não sou amigo ( de Oliveira e Manduca ). Quem me apresentou às duas pessoas foi o próprio sr. Aquino, que era presidente em uma grande empresa de Campinas, a Sanasa - Saneamento e Água de Campinas", esclareceu. "Emprestei o escritório para o presidente de uma empresa onde a Prefeitura de Campinas detém 99% das ações e, sendo a comunicação centralizada, entendo que a empresa também é minha cliente."

Para Dudu não há inconveniente em emprestar o espaço a um cliente. "Ceder um escritório para um cliente é muito comum. Não participei da reunião, conforme depoimentos. Não sabia do assunto. Minhas relações com sr. Aquino foram sempre sobre comunicação." Ele disse que já se reuniu com Aquino quando este exercia a presidência da Sanasa. "Sim. Sempre com a presença de pessoas da agência e da comunicação da Sanasa." Dudu Godoy foi categórico ao destacar a lisura de seus contratos com a administração de Campinas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: campinasfraudelobistasdudu godoy

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG