Uma semana após retirar a candidatura de Ciro Gomes à Presidência da República, a cúpula do PSB almoçou hoje com a pré-candidata

Uma semana após retirar a candidatura de Ciro Gomes à Presidência da República, a cúpula do PSB almoçou hoje com a pré-candidata Dilma Rousseff para dar um tom solene à adesão do partido à candidatura petista. No dia 21 de maio, o PSB reúne seu Diretório Nacional para formalizar o seu apoio a Dilma Rousseff. 

"Esta não será uma campanha do PT. Esta será a campanha de uma frente. Tudo que a candidatura de Dilma precisa neste instante é ser uma candidatura que vai além do PT", disse Eduardo Campos, presidente nacional do PSB e governador de Pernambuco. "A nossa chegada a essa aliança contribui para esta campanha cada vez mais ser de todos e não de um ou dois partidos", completou. "A candidata vai a todos os palanques que a apoiam nos Estados", garantiu o presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra. 

A candidatura de Dilma Rousseff já conta com o apoio do PMDB, PC do B, PR, PDT e PRB. "Tenho certeza que a presença do PSB vai qualificar muito a minha campanha", afirmou Dilma. 

Mesmo depois de o PT ter tido papel importante para impedir a candidatura de Ciro à Presidência, a petista disse ter certeza de que ela e o deputado sempre estarão do mesmo lado. "Conheço a capacidade de luta e de lealdade do deputado e farei a maior questão de sempre procurar o Ciro Gomes porque, além disso, eu o considero um amigo", argumentou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.