Em 1ª reunião, Dilma passa recados e divide cena com Palocci

Presidenta e ministro da Casa Civil passaram recado sobre ética à equipe de governo

Andréia Sadi, iG Brasília |

Rodeada pelos assessores mais próximos, a presidenta Dilma Rousseff, comandou nesta sexta-feira, da cabeceira da mesa da sala “Suprema”, no Palácio do Planalto, a primeira reunião ministerial do seu governo. De um lado, os ministro Antonio Palocci (Casa Civil) e Nelson Jobim (Defesa) eram os mais próximos de Dilma. Do outro, Michel Temer (vice-presidente) e José Eduardo Cardozo (Justiça). A reunião que durou mais de três horas foi um enquadramento, marcado por cobranças e um clima sério, segundo participantes. Lado a lado com Dilma, Palocci dividiu os holofotes com a presidenta .

Agência Estado
Palocci e Dilma pediram a ministros que evitem alimentar brigas com a imprensa

A dupla aproveitou a reunião para passar recados aos ministros: que evitem alimentar brigas com a imprensa para que não sejam afetadas as relações no governo e as eleições das presidências da Câmara e do Senado. Pediu, nas palavras de um assessor, “colaboração” e “boa relação” de todos com o Legislativo.

A reunião não teve pausas. Para os ministros com fome, foram servidos quitutes pelos garçons do Planalto- tudo na bancada. E as brincadeiras? Uma risada geral foi provocada, sem querer, pela dobradinha Dilma-Paulo Bernardo. "Estavam sentados Lobão, Paulo Bernardo e Izabella Teixeira, nesta ordem. Dilma, então, se confundiu e disse ' A Izabella e o Lobão sentados aí do ladinho...' Paulo, que estava no meio dos dois colegas, respondeu: Epa, do ladinho dela, estou eu, Dilma', contou um participante.

Após Dilma, Palocci também aproveitou a reunião e cobrou ética e boa conduta dos ministros no exercício do cargo. Foram apresentadas normas que estão sendo resumidas em uma cartilha da CGU (Controladoria-Geral da União) de como devem ser utilizados veículos oficiais e cartões corporativos. Na reunião, porém, não houve espaço para ironias . “O exemplo mais fácil seria lembrar o caso da tapioca, mas não foi feito", resumiu um integrante. Outro ministro concorda, mas disse que "ficaria deselegante na presença de Orlando".

Em 2008, o ministro dos Esportes, Orlando Silva, foi acusado de comprar uma tapioca de R$ 8,30 com o cartão corporativo. Dilma quer evitar desgastes para a imagem do governo e pediu a colaboração da equipe.

Além de Palocci e Dilma, fizeram exposições Guido Mantega (Fazenda), Miriam Belchior (Planejamento) e Luiz Sérgio (Relações Institucionais).

Avessa a reuniões longas, Dilma colocou em prática o projeto de dividir os ministérios em quatro grupos temáticos. Desta forma, as próximas reuniões acontecerão segmentadas e não será necessário despachar com todos os 37 ministros.

O primeiro grupo, responsável pelo "Desenvolvimento Econômico", será coordenado pelo ministério da Fazenda, o"Gestão e Competitividade", será chefiado pelo Ministério Planejamento ; o grupo "Erradicação da Miséria" será coordenado pelo ministério de Desenvolvimento Social e o grupo direcionado aos "Movimentos Sociais" terá coordenação do ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho.

Após a reunião, Dilma embarcou para Porto Alegre, onde passa o final de semana em agenda privada. Na capital gaúcha, moram a filha da presidenta, Paula, e o ex-marido e amigo de Dilma, Carlos Araújo.

    Leia tudo sobre: Dilma RousseffAntonio Palocci

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG