Disputa por vaga no Tribunal de Contas racha base aliada de Dilma

Presidenta da República resolve não se meter na discussão sobre nomes para evitar problemas com aliados no Congresso

Adriano Ceolin, iG Brasília |

AE
Para o TCU, Dilma não quer opinar. Lula apoia Ana Arraes
Termina nesta sexta-feira o prazo de inscrição dos candidatos da Câmara dos Deputados a uma vaga de ministro no Tribunal de Contas da União (TCU), posto cobiçado e que pode causar problemas ao governo . Quatro nomes da base aliada se posicionam e provocam divisões em quase todas bancadas da Casa. É por esse motivo que a presidenta Dilma Rousseff resolveu não se meter na disputa.

“O Palácio do Planalto vai ficar fora deste debate”, afirmou o líder do PT na Câmara, Paulo Teixeira (SP). “Nós vamos trabalhar para haver unidade na base aliada e no PT”, completou. Sabendo que o assunto pode provocar turbulência, Teixeira não declara ter preferência por um dos quatro candidatos: Aldo Rebelo (PC do B-SP), Ana Arraes (PSB-PE), Jovair Arantes (PTB-GO) e Átila Lins (PMDB-AM).

Nos bastidores, porém, sabe-se que o líder do PT faz força pela candidatura da deputada Ana Arraes, que é mãe do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB). Entre os petistas, há quem defenda o nome do deputado Aldo Rebelo (PC do B-SP). Ex-presidente da Câmara, ele é visto como principal adversário da deputada socialista.

“Estamos trabalhando, pedindo votos”, disse Aldo, ao ser abordado pela reportagem do iG no fundo do plenário da Câmara na última quarta-feira. Apesar de integrar um partido da base aliada – o PC do B --, Aldo tem bom trânsito no DEM e no PSDB. Os dois partidos apoiaram ele na última vez que concorreu à presidência da Câmara. O comunista, porém, acabou derrotado.

Mais recentemente Aldo ganhou o apoio da bancada ruralista no Congresso. Ao ser relator do novo Código Florestal na Câmara, ele atendeu emendas que beneficiaram os produtores rurais. No Palácio do Planalto, Aldo teria como aliada a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti. Ela, porém, já avisou que também não se envolverá na disputa pela vaga no TCU.

Lula, Aécio e Marconi

A deputada socialista Ana Arraes furou o bloquei o na oposição ao conseguir o apoio do senador Aécio Neves (PSDB-MG) na semana passada. A negociação contou também com a participação de Eduardo Campos. Contudo, o padrinho mais forte de Ana Arraes é o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva . O objetivo dele é também evitar que o tucano e o socialista se unam para 2014.

Líder do PTB na Câmara, o deputado Jovair Arantes (GO) tenta se consolidar como terceira opção entre Aldo e Ana Arraes. Ele se aproveita da disputa entre os dois favoritos para ganhar força junto ao baixo, grupo de deputados que não aparecem nos holofotes mas que, quando se une, decide as principais votações na Casa.

Apesar de também integrar a base, Jovair tem força na oposição, principalmente no PSDB. Ele conta como apoio do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB). O líder tucano na Câmara, Duarte Nogueira (SP), confirma que a bancada ainda está dividida sobre a vaga no TCU. “Além dos setores que defendem Ana e Aldo, Marconi Perillo (de Goiás, do PSDB) manifestou apoio ao deputado Jovair”, disse.

Segunda maior bancada na Câmara, o PMDB também tem um candidato ao TCU. Trata-se do deputado Átila Lins (PMDB-AM). Apesar das divisões na bancada peemedebista, ele teve o nome registrado oficialmente ontem. Ana Arraes e Aldo também já inscreveram. O PPS e o PSOL lançaram a candidatura do auditor do TCU, Rosendo Severo. Ele faz campanha pelo Twitter.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG